13 de fev de 2012

COEXISTÊNCIA?!


"Coexistir" é uma logomarca que originalmente intercambiava letras (na palavra em inglês) pelos símbolos das três religiões monoteístas, que consideram Abraão como seu patriarca, Foi criada pelo artista polonês Piotr Mlodozeniec e divulgada em shows de artistas pelo mundo afora. Surgiu nos Estados Unidos para enfrentar a discriminação étnica e religiosa, lembrando que o Deus de judeus, cristãos e muçulmanos é o mesmo. Hoje, mais símbolos religiosos foram agregados em variantes da logo e existe a Fundação Coexist, uma instituição de caridade que trabalha para promover o entendimento entre religiosos através do diálogo, educação e respeito.

Mas a imagem acima nos foi enviada por Eduardo Silva Carroll, cristão de tradição protestante que estudou teologia conosco na UNICAP e agora reside na América do Norte: retrata uma leitura que algumas Igrejas evangélicas conservadoras estão fazendo do "COEXIST" nos Estados Unidos. A mensagem, intolerante e provocativa para com outras tradições religiosas e movimentos sociais, é sobretudo contra os muçulmanos, tidos como invasores violentos, e argumenta que o adesivo e a campanha "Coexist" seriam contra os cristãos - que, contudo, não ameaçam ninguém!

"Muçulmanos querem matar gays, judeus, cristãos e pacifistas. Se muçulmanos agirem à sua maneira, taoístas e pagãos deverão se converter ou morrer. Pacifistas oferecem apenas resistência não violenta aos muçulmanos. O problema é que muçulmanos não têm nenhuma dificuldade em suprimir os dissidentes com violência, de modo que o pacifismo irá ser dizimado. Militantes dos Direitos Gay têm sido combatidos por todas as religiões, o que os torna intolerantes para com muçulmanos, judeus e cristãos. Judeus são ameaçados de aniquilamento não apenas pelos muçulmanos mas também por pacifistas, que toleram muçulmanos contra os judeus. Pagãos e taoístas são estatisticamente insignificantes, mas necessários para ajudar a mensagem a fazer sentido. O adesivo é dirigido contra os cristãos, mas estes não constituem nenhuma ameaça para os outros".

Claro que se trata de resistência ao novo Tempo Axial no qual estamos entrando em nossa "aldeia global" perspontada de multiculturalismo, quando, ao invés de converter o mundo e implantar a minha Igreja, seria mais sensato ajudar na disponibilização das mensagens de todas as tradições espirituais, para quem delas necessite em seu processo de educação (e transcendência) humana e humanizante, favorecendo assim a compreensão e a paz entre os povos. Para ajudar nesse processo de reeducação religiosa e conscientização social, pedimos a Eduardo que divulgue lá entre os gringos este outro desenho, abaixo, que circula nas redes sociais por aqui: talvez ajude a pensar e sensibilizar...
...

Veja mais no blog:

4 comentários:

  1. Gorete sua linda.

    ResponderExcluir
  2. ...uma imagem vale mais do que mil palavras...não é isso?!!!

    ResponderExcluir
  3. essa imagem devia virar logotipo, muito clara.

    ResponderExcluir
  4. as etnias tem esqueletos diferentes sim

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!