27 de jan de 2012

COMPARTILHAMENTO VIRTUAL VIRA RELIGIÃO!


Copiar e compartilhar é um ato divino! A internet é sagrada! É mais ou menos assim a pregação dos adeptos do Kopimismo: acreditam que a informação é sagrada e que seu valor se multiplica quando ela é compartilhada. Por isso, após um ano de argumentação, conseguiram no último Natal que o Kammarkollegiet, órgão regulador da religiosidade na Suécia, reconhecesse oficialmente a Igreja Missionária do Kopimismo (Church of Kopimism) como uma religião. Isso significa que, além de conformar mitos, ritos e interditos, essa nova tradição tem a possibilidade de provocar uma experiência mística?!

Os símbolos da Igreja são o Ctrl+C e o Ctrl+V. A religião foi criada pelo estudante de filosofia Isak Gerson, 19 anos, e pelo estudante de economia Gustav Nipe, 21. Eles também, no campo político, são membros do Partido Pirata, originado do site sueco de compartilhamento PirateBay. O termo Kopimismo é derivado de Kopimi (Copyme), espécie de licença que se opõe a direitos autorais: o logotipo do Kopimi em seu site ou livro, por exemplo, significa que o seu conteúdo pode ser copiado e reprocessado.

Trata-se de um movimento social (e religioso, agora!) que vai na contramão da legislação de direitos privados (SOPA) que se desenvolve nos Estados Unidos. O reconhecimento oficial do governo da Suécia garante o direito dos kopimistas de exercer a religião e, pelo menos em tese, de contar com assistência financeira do governo. A nova Igreja considera que os seus templos são todos os servidores de internet pelo mundo, que hospedam arquivos (de textos, audiovisuais, programas), e que as pessoas estão “rezando”, praticando uma espiritualidade, quando compartilham esses arquivos repetidas vezes umas com as outras. Amém!

Mais no blog:

Um comentário:

Obrigado pela sua participação!