27 de mar de 2011

MORREU COMBLIN

Morreu na manhã de hoje, domingo, aos 88 anos, o padre belga José Comblin, um dos mais importantes representantes da Teologia da Libertação. Ele estava na Bahia, tendo falecido devido a problemas cardíacos. Nasceu em Bruxelas, em 1923. Ordenou-se sacerdote em 1947. Doutorou-se em Teologia pela Universidade Católica de Louvain.

Trabalhou na América Latina desde 1958. Em Campinas, São Paulo, lecionou Química e Física para o curso colegial. Posteriormente foi assessor da Juventude Operária Católica, tornando-se professor da Escola Teológica dos Dominicanos em São Paulo e tendo como alunos Frei Betto e Frei Tito. Aí permaneceu até 1962. A seguir lecionou na Faculdade de Teologia do Chile até 1965. A convite de Dom Helder Câmara, veio para o Recife, onde foi professor do Instituto de Teologia - ITER, tendo oferecido cursos e assessorias também no Equador e na Bélgica. A partir de 1969 esteve à frente de seminários rurais em Pernambuco e na Paraíba.

A metodologia utilizada para os seminários era adaptada ao ambiente social dos seminaristas e essa experiência lançou as bases para a sua Teologia da Enxada. Suas idéias o colocaram sob suspeita do regime militar. Foi expulso do Brasil em 1971. Exilou-se no Chile durante 8 anos, onde também esteve à frente da criação de um seminário em Talca, em 1978. No seu livro A Ideologia da Segurança Nacional, publicado em 1977, destrinchou a doutrina que servia de base para os regimes militares na América Latina. Foi expulso por Pinochet em 1980.

Ao desembarcar no Recife, foi preso na Polícia Federal, considerado ainda "persona non grata" já em tempos de redemocratização! Desde que voltou ao Brasil, radicou-se em Serra Redonda e João Pessoa (Paraíba), e atualmente estava morando na cidade de Barra, no interior da Bahia. Nós damos testemunho da sua vida simples e comprometida com uma Igreja humilde e a serviço dos pobres. Ele foi nosso professor no ITER e também no Curso de Missiologia, em São Paulo. Sua dedicação maior sempre foi à formação de animadores de comunidades eclesiais de base, além de escrever muitos e importantes livros. Foi um profícuo e íntegro mestre do cristianismo, por quem os nossos sinos devem dobrar!

Comblin pediu para ser enterrado em Solânea, na Paraíba, o que deve ocorrer na próxima terça-feira, 15h. Nesse município está o Santuário de Santa Fé e o túmulo de outro padre santo, Ibiapina, que Comblin tinha como exemplo. No domingo que vem, dia 3, às 11h, será celebrada na Igreja das Fronteiras no Recife, onde viveu Dom Helder, uma missa especial para fazer memória agradecida pela vida do grande profeta que foi José Comblin. Será uma iniciativa conjunta do Instituto Dom Helder Câmara e do Grupo de Leigos Igreja Nova, com a participação da gente da UNICAP.

Desde 2009 Comblin vinha doando a sua biblioteca de 9 mil livros à Universidade Católica de Pernambuco, por nos considerar parceiros capazes de ajudar o povo a ter uma fé mais esclarecida. No próximo dia 25 de abril, às 14h, no bloco G4 da Católica, um pastor protestante, Paulo César Pereira, vai apresentar a sua dissertação no nosso Mestrado em Ciências da Religião, sobre a contribuição da teologia de Comblin para a evangelização das cidades - sinal dos tempos!

Veja mais no blog:
Entrevista IHU

Abaixo, recente entrevista de Comblin (em espanhol) a Warken, no Chile: 

5 comentários:

  1. Ecce homo (1923-2011).
    Esse homem, quando falava, era profeta. Esse homem, quando mirava, trespassava. Esse homem, quando ouvia, ruminava - tantas coisas que os modernos não sabemos do que se trata. Esse é o homem que hoje todos nós temos presente e por distintos motivos. Fique sempre conosco Comblin!

    ResponderExcluir
  2. Há poucos dias atrás, em visita a Santa Fé - conta-nos seu conterrâneo, Pe. José Floren - lá estava o Pe. José Comblin a plantar uma muda de pau-brasil, explicando que era para fazer sombra em seu túmulo... Pois bem, após haver plantado centenas de árvores, desta vez será o próprio Pe. José a ser plantado ("Se o grão de trigo não morrer..." Cf. Jo 12, 24). Viva Comblin! Davi Daniel.

    ResponderExcluir
  3. Em suma, um πρoφήτης destes tempos modernos que, como Amós, deixou sua pátria e veio exercer seu ministério em nosso meio (América Latina).
    Como diria Paulo:
    "Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé" (2Tm 4,7).

    Teólogo Cícero Lopes

    ResponderExcluir
  4. Os bispos podem lembrar-se de que a Igreja, na Europa, é o que é porque durante mais de 100 anos os bispos tomaram sempre posição contra os candidatos dos pobres, dos operários. Sempre estavam ao lado dos ricos sob os mais diversos pretextos. E no fim aconteceu o que podemos ver. Abandonaram a Igreja. Cuidado! Que não aconteça a mesma coisa por aqui! Os pobres sabem, são conscientes e sentem muito bem quando são humilhados...
    São os últimos lembretes de Comblin!!!

    ResponderExcluir
  5. Poucos intelectuais marcaram a vida da igreja na América Latina como o fez o padre José Comblin, que chegou para viver como missionário em 1958. Comblin escolheu o sertão da Bahia para viver os últimos dias de sua vida dedicada aos mais humildes, uma vida que ele viveu humildemente, sempre com um sorriso, ao tempo em que nos levava a pensar nos mistérios da vida, enquanto vivia a alegria de estar ao lado, física e moralmente ao lado dos bem-aventurados. (Leia mais em http://www.biuvicente.com/blog)

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!