2 de dez de 2010

O RITUAL DO EXORCISMO


A Warner Bros Pictures divulga o trailer do suspense O Ritual, dirigido por Mikael Hafstrom. No elenco principal estão Anthony Hopkins (que fez Silêncio dos Inocentes e O Lobisomen), a brasileira Alice Braga (Predadores e Ensaio Sobre a Cegueira), Rutger Hauer (Batman Begins e Blade Runner) e Colin O’Donoghue (da série de TV The Tudors). O filme tem produção de Beau Flynn e Tripp Vinson (O Exorcismo de Emily Rose) da Contrafilms. O roteiro é de Michael Petroni (As Crônicas de Nárnia - A Viagem do Peregrino da Alvorada), baseado no livro homônimo de Matt Baglio.

Esse livro, The Rite (que está em liquidação na Amazon!), foi lançado em 2009 e descreve a experiência daquele jornalista ítalo-americano acompanhando um curso de exorcistas em Roma. As aulas aconteciam no Ateneo Pontificio Regina Apostolarum, uma universidade filiada ao Vaticano. O escritor conheceu, então, o padre americano Gary Thomas, que nunca tinha sequer assistido a um exorcismo, e acompanhou o seu treinamento nas aulas e com um exorcista veterano. Durante o período em que preparou o livro, Baglio conseguiu presenciar 20 cerimônias e relatou: “Vi uma mulher cuja voz mudou dramaticamente, ficando muito grossa e gutural, o que não soou humano para mim. Também vi casos em que as pessoas reagiram muito violentamente, empurrando e até vomitando”.

Inspirado em fatos reais relatados pelo livro, portanto, o filme O Ritual narra a história do cético seminarista Michael Kovak (Colin O’Donoghue) que, relutantemente, frequenta uma escola de exorcismo no Vaticano. Sua vida muda quando ele encontra o ortodoxo Padre Lucas (Anthony Hopkins, numa interpetação primorosa), que lhe apresenta o lado mais obscuro da religião. O Ritual deve entrar em cartaz no Brasil no começo de 2011.

Vai reacender um debate que parecia superado pela modernidade, sobre o sentido do transe, da possessão. Várias religiões populares acreditavam e acreditam que todo mal é resultante da possessão pelos espíritos malignos, que precisam então de algum ritual de exorcismo. As religiões indígenas geralmente pensam que a alma, "ânima", da pessoa e de todos os seres vivos, o seu “sopro de vida”, sobrevive à morte numa espécie de sobrevida imaterial. Ela precisa ser agraciada com oferendas para trazer benefícios e saúde para a comunidade. E precisa ser exorcizada e esconjurada quando invade situações e corpos, maleficamente. A situação é mais dramática nas religiões cujo panteão de espíritos e divindades concentrou o mal em um ser anti-deus, como no caso do diabo, do "anjo divisor" no imaginário judaico-cristão.

A mentalidade moderna e científica interpretou o transe como uma forma arcaica (e semi-consciente) de oração e analisou os fenômenos de possessão "demoníaca" como desequilíbrio psicológico e/ou como uma "dramatização" comunitária (transtorno de identidade resultante de traumas, que encontra uma terapêutica psico-social nos rituais de transe). Após o Vaticano II, por exemplo, os católicos suspenderam os exorcismos ou o retringiram a casos especiais, em que alguém experiente e com autorização extraordinária deveria rezar pelo possesso, após análise de uma junta médica.

Mas, Ocidente afora, certos evangélicos voltaram a atribuir os vícios e a má sorte no amor e nos negócios aos "encostos" do diabo, promovendo sessões de "desencapetamento" pelos seus pastores, em rituais exóticos que atraem a sensibilidade popular e provocam adesões ao poder dito "sobrenatural" desses curandeiros "pós-modernos". Mesmo em rezas carismáticas dos católicos há momentos de exorcismo devocional, contra as forças maléficas. Como nos tempos do "éter" de Aristóteles, sua cosmovisão contempla a intervenção espetacular, "objetiva" e vertical dos espíritos sobre a nossa "natureza" - desconsiderando as atualizações do lugar do sagrado para dentro da (ou entre a) nossa subjetividade e história, que se tornam "mais-que-naturais" quando se espiritualizam pelo amor (ou transparecem o mistério do mal, pelo desamor).   

Como reação (?!) a esse revival pré-moderno de satanização do cotidiano, em 2005 o Vaticano reeditou o seu manual de exorcismo (a última edição era do século XVII) e criou mesmo aquele curso para exorcistas, padres católicos que expulsam o demônio - mas devem andar de mãos dadas com a ciência! (Santo oximoro!). É em torno desses fatos e sobre um suposto plano de colocar um exorcista em cada diocese do mundo que trata o filme O Ritual. Mas, então, o que você pensa? Vamos nos preparando pra ver e debater o filme... Como devemos compreender esse fenômeno do exorcismo? O diabo pode possuir o corpo de alguém?! Digaí...

Gilbraz Aragão.
Veja aqui comentários de outros filmes.
Veja mais no blog sobre o assunto:
Cuidado com a magia negra,
Diabo e psicologia.

12 comentários:

  1. Gil, já presenciei a mãe de uma colega minha que ao chegar de um cemitério passou semanas com distúrbios que eu não saberia dizer ao certo (cientificamente) do que se tratava, mas uma coisa é certa, nunca vi nada igual, pois, até a voz mudava, ficando agressiva e falando sempre em nome de uma outra pessoa...
    Como sou curioso, fiquei a semana inteira acompanhando tudo o que ocorria, até que um espírita conseguiu resolver o problema.

    É isso, estou curioso para ver o filme...

    ResponderExcluir
  2. Acredito que o diabo não se apodera de ninguém, até porque isto foi invenção da igreja católica.
    Acredito sim na maldade que existe nas pessoas sem alguma vivência espiritual, pois só ela nos transporta ao infinito.Será muito importante este debate e quem sabe talvez no forum né?! Estou curiosa para asiistir o filme e entender melhor este fenômeno da "posseção".

    04 de 2010 Mazezinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabe qual o problema dos céticos? Eles passam a vida inteira atrás de respostas mais plausíveis para as dúvidas que eles tem! Mas o que aconteceria se de fato eles encontrassem todas as respostas? Não acreditar no demônio não nos protegerá dele .... claro isso não quer dizer que as pessoas não sejam malvadas e perversas e que somente o demônio nos faça ter ações ruins ....

      Excluir
  3. La supuesta posesión por espíritus es un fenómeno presente en la actualidad en muchas culturas del mundo. Mientras que algunas religiones le dan a este fenómeno una explicación “externa” (los individuos poseídos obrarían bajo el control de diversas entidades), la medicina y la antropología han enmarcado tradicionalmente las llamadas posesiones dentro del “trastorno de identidad disociativo”. Una investigación realizada en Uganda, donde se diagnostican muchos casos de posesión por espíritus, ha constatado que los poseídos presentan similitudes con las personas que sufren disociación. Por otra parte, el estudio ha revelado que una de las posibles causas del fenómeno serían las experiencias traumáticas más radicales.
    Lea mas en: http://www.tendencias21.net/La-supuesta-posesion-por-espiritus-tiene-su-origen-en-experiencias-traumaticas_a5167.html?preaction=nl&id=5367164&idnl=79560&

    ResponderExcluir
  4. existe sim casos de que espiritos maus se apoderam do corpo, mas quando isso ocorre deve orar a Deus repreendendo em nome de Jesus ....só assim essa vida será liberta do mau...
    jessica curitiba paraná
    assembléia de Deus

    ResponderExcluir
  5. Já assisti esse filme e não gostaria de duvidar tanto da existência de possessões e não acredito que só a igreja católica possa possuir esses tipos de relatos e/ou sejam os únicos a conseguiram fazer os rituais para cura e libertação nas pessoas que são possuídas, já que hoje podemos ver isso com mais frequência nas igrejas evangélicas a não ser que o que é apresentado para os fiéis sejam mentiras para que todos nós acreditemos que tantas pessoas são possuídas por dia, e assim termos mais medo de ir para o inferno, por isso não devendo cometermos mais pecados, o que todos nós sabemos que é impossível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só a Igreja Católica tem autoridade para isso. Os padres são consagrados para a vida sacerdotal e mistérios. Eles recebem uma bênção especial para isso! Só eles. As Igrejas Evangélicas não se consideram como instituições de Deus . Não se consideram Igrejas. Para os evangélicos não existem os sacramentos . Igreja para evangélico é apenas um local criado por mãos humanas para poderem se reunir e meditar sobre a palavra de Deus, mas eles não consideram nenhum sacramento como os que são realizados na Igreja Católica. Mesmo o batismo para eles se constitui apenas numa celebração de um vínculo do fiel com Cristo , ele passa a ser cristão, somente isso! Na Igreja Católica , não! É muito mais que isso ! Ele também deixa de ser pagão e passa a ser cristão, mas o batismo católico é também um exorcismo que arranca a alma das garras de Satanás, porque com o pecado original o diabo obteve certo poder sobre nós e no Batismo católico , existe o exorcismo que neutraliza isto!
      Para qualquer exorcismo o ministro que o executa tem que ser alguém consagrado a Deus por SACRAMENTO , e isto não existe nas igrejas evangélicas , só na Católica.

      Excluir
  6. eu olhei nesse filme qe e pressiso acredita no diabo para qe vc possa toma preucauçoes mais acreditar no sentido de assistir e esse filme e historia real

    ResponderExcluir
  7. O anônimo supracitado diz "o diabo não se apodera de ninguém, até porque isto foi invenção da Igreja Católica", pois bem, segundo esta crítica, outras denominações religiosas também acreditam na existência do diabo, então, caro anônimo, você não sabe ler, não entendeu a crítica, ou, como muitos pensam "tudo é culpa da Igreja Católica"? Eu respondo: você se enquadra na terceira opção e te dou uma dica: vai aprender mais sobre a Igreja que tem 2012 anos e não fique igual um "papagaio louco" repetindo o que as pseudo-faculdades e pseudo-professores dizem, porque, gente burra critica o que não conhece (parece ser o seu caso).

    ResponderExcluir
  8. Bom, a discussão por aqui foi longe. Mas é isso que se faz numa Universidade, exercitando a epistemologia das controvérsias: é nesse clima de liberdade para o contraditório e a crítica inter-subjetiva que se produz ciência! Então, aí vai uma pequena colaboração pro debate, bem acessível pra todo mundo: KELLY, H. Satã, uma biografia. São Paulo: Globo, 2008. Bom estudo pra todo mundo.

    ResponderExcluir
  9. "Todos esses que aí estão
    Atravancando meu caminho,
    Eles passarão...
    Eu passarinho!"
    (Mário Quintana. Prosa e Verso. 1978)

    asinado: Mazezinha.

    ps.: eu não sou anônima e muito menos papagaia: o "anônimo" acima é que deve ler melhor as coisas (eu assino o que digo, diferentemente dele), e também ler mais coisas (além do catecismo da sua igreja) pra saber que o diabo como o conhecemos é mesmo uma criação mitológica da igreja medieval. como sugestão, leia A história do diabo, de Flusser. enfim, tenho plena consciência da presença misteriosa do mal, embora ache que a sua representação como um anjo separado, de rabo e chifre (prorrompendo teatralmente nos corpos fracos/pecadores) é uma imagem datada e ultrapassada, que hoje serve pra esconder o "diabo" verdadeiro. atualize-se, "anônimo", ou você fica passado!

    ResponderExcluir
  10. O ser maligno realmente existe e como bem disse João Paulo II, está vivo e ativo no mundo . Não é história de padre , de Igreja, como muitos gostam de afirmar com a intenção de tentar descredibilizar a existência da entidade. Quem faz isso , são também os que têm muito medo dessa realidade sinistra e como bem foi citado no filme : Negá -lo não irá protegê-lo dele!...Exatamente isso, como muito bem colocado foi pelo filme!A grande maioria dos que o negam é por medo!E então se apoiam em conclusões recionalistas para negar , mesmo sabendo que teses recionalistas são também limitadas e não têm alcance para explicar tudo. Os fenômenos de possessão têm traços que nada têm a ver com psicopatias. Um psicopata não tem poder para realizar fenômenos sobrenaturais. Eu sou profissional de saúde aposentada hoje e cheguei a cursar mais 2 universidades, direito e teologia. Sempre atuei em saúde pública , o que contribuiu muito para minha experiência com os casos de distúrbios psico-patologicos em crianças e adultos.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!