24 de jun de 2010

DOM FERNANDO E OS FESTEJOS JUNINOS

.
Nestes festejos juninos, transcrevemos trecho da matéria publicada na Revista Atitude, onde o arcebispo católico de Olinda e Recife, Dom Fernando Saburido, fala da devoção aos santos de junho que são famosos no Nordeste. Diz ele: "É importante participar das festas, mas, em primeiro lugar, temos que pensar no exemplo de vida que nos passam os santos lembrados durante este mês”.

... Para Dom Fernando Saburido a fé e o compromisso eclesial em Olinda precisam melhorar. “O povo olindense é piedoso, mantém as tradições, é um povo bom, mas precisa se comprometer mais com as pastorais da Igreja, sobretudo, os problemas sociais. É triste ver a situação de tantos moradores de rua, precisamos ajudá-los. Também caracteriza-se um verdadeiro desafio o enfrentamento do problema das drogas”, aconselhou.

O Arcebispo também falou das festividades juninas. Para ele, essa época é de grande importância na sociedade, mas os católicos não podem esquecer a questão espiritual e pensar apenas na festa profana. “É importante participar das festas, mas, em primeiro lugar, temos que pensar no exemplo de vida que nos passam os santos lembrados durante este mês”, esclareceu.

Segundo Dom Fernando, cada dia do ano a Igreja faz memória de um santo diferente, ou até mais de um. Porém, o período junino é especial, pois os santos deste mês são mais conhecidos na sociedade, são eles: Santo Antônio, São João e São Pedro.

Santo Antônio

Ele é conhecido como o Santo Casamenteiro. Segundo Dom Fernando, o santo nasceu no século XII, em Portugal. Sua data é comemorada no dia 13 de junho. De acordo com o bispo, Fernando de Bulhões, nome de batismo de Santo Antônio, foi um homem de Deus. “Santo Antônio foi um formador dos confrades franciscanos. Ele foi um homem de Deus, missionário e servidor”, contou.

Santo Antônio foi canonizado em 1232 e somente em 1946 foi proclamado doutor da Igreja pelo papa Pio XII. Em homenagem a ele, no dia 13 de junho algumas igrejas distribuem os “pãezinhos de Santo Antônio” que, segundo a tradição devem ser guardados dentro de uma lata de mantimentos, para que não falte comida durante o ano. Há quem diga que o pão não mofa, mantendo-se íntegro pelo período de um ano.

No Brasil, existe uma tradição de que o santo pode promover casamentos. De acordo com a tradição, ele era um grande conciliador de casais, daí surgiu a fama. Muitas pessoas costumam realizar simpatias para conseguir o grande amor de sua vida. Uma delas é deixar Santo Antônio de cabeça para baixo até realizar a graça. Outra simpatia muito comum no dia 13 de junho é cravar um facão numa bananeira. Segundo populares, o líquido que escorrer da árvore vai formar a primeira letra do nome da pessoa amada.

São João

Ele é um dos santos mais conhecidos do período junino. João Baptista era filho do Zacarias e Isabel, prima de Maria, mãe de Jesus. Ele também foi um dos apóstolos de Cristo. “Ele foi o precursor de Jesus Cristo, apontou Jesus como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”, disse Dom Fernando.

João Batista foi conhecido por fazer batizados de muitas pessoas na época, inclusive do próprio Jesus. Segundo a história, João nasceu livre do pecado original e foi santificado ainda no útero de sua mãe. São João é o santo padroeiro da amizade e sua festa é celebrada no dia 24 de junho. Neste dia é comum que alguns fiéis realizem simpatias a João. A mais conhecida é a simpatia da fogueira. A tradição diz que quem passar descalço por cima das brasas e não queimar os pés é porque não tem pecado nenhum.

“É importante participar das festas, mas, em primeiro lugar, temos que pensar no exemplo de vida que nos passam os santos lembrados durante este mês”, diz Dom Fernando.

São Pedro

A festa de São Pedro acontece no dia 29 de junho. Esta data é considerada feriado em algumas cidades que o têm como padroeiro. Pedro foi um dos doze apóstolos de Jesus. Os estudos indicam que ele nasceu em 67 d.C. e era filho de João. De acordo com a Bíblia, seu nome original não era Pedro, era Simão. Ele foi o primeiro Bispo de Roma, sendo assim considerado o primeiro Papa da Igreja Católica.

Segundo Dom Fernando Saburido, Pedro foi um homem bom e pecador, como qualquer outro humano. “Ele escutou de Jesus palavras muito duras, que certa vez o chamou de satanás, pois pensava como homem e não como Deus. Pedro, porém, era muito humilde, reconhecia seus erros, pedia perdão e recomeçava”. Pedro é conhecido por ter ajudado a organizar a Última Ceia e exercer um papel relevante na Paixão de Cristo. De acordo com a tradição, São Pedro foi crucificado de cabeça para baixo porque declarou não ter o mérito de ser morto da mesma maneira que o seu Mestre.

No dia de São Pedro é comum que as pessoas façam uma simpatia pedindo uma casa nova. Para alcançar a graça, é necessário colocar uma chave nova debaixo do travesseiro e embrulhá-la em um papel branco com três pedidos, informando como seria a casa nova. Segundo a crença popular, São Pedro e seus anjos passarão a noite procurando a residência dos seus sonhos.

Veja mais no blog:
sobre Festas Juninas aqui,
sobre Dom Fernando aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!