13 de dez de 2012

ESPIRITUALIDADE PARA ALÉM DAS RELIGIÕES

Há coisa de um ano participamos de Congresso na PUC-Minas (veja aqui) sobre Religião e Cultura. Aí estivemos envolvidos nos debates em torno das Espiritualidades Pós-religiosas (que até geraram uma edição da Revista Voices, veja aqui) e, por causa disso, acabamos tendo o prazer de conhecer um pensador espanhol muito envolvente e provocativo: Mariano Corbí Quiñonero.

Esse jesuíta excêntrico (amigo, aliás, de outro inaciano do mesmo naipe e mesma língua de Cervantes, o Pe Manolo Piquer, que foi companheiro nosso na UNICAP) investiga como epistemólogo as consequências axiológicas das transformações geradas pelas sociedades de inovação ou pós-industriais. Afirma que os sistemas de valores estão relacionados aos modos de vida das diferentes sociedades e que formulações mítico-simbólicas das sociedades pré-industriais derivaram da sua capacidade de configurar ambientes estáveis de certezas inamovíveis, que eram vitais para garantir a sobrevivência das sociedades do passado.

Essas configurações mítico-simbólicas são, no entanto, muito pouco adequadas para uma realidade social como a das sociedades de inovação e mudança, que requer transformação contínua a todos os níveis. Novas sociedades do conhecimento, na aldeia global interconectada pelas comunicações, sobrevivem e prosperam de inovação e mudança e, portanto, é necessário reinterpretar os valores e sentidos humanizantes da espiritualidade, em novas bases. Por isso, a proposta de Corbí é de uma "religião sem religião": o cultivo da qualidade humana profunda para além de formas religiosas arcaicas e metafísicas. Não é à toa, portanto, que Mariano (ou Marià, como se diz na sua terra) dirige um Centro de Estudo das Tradições de Sabedoria, em Barcelona.

Em português, então, temos a tradução do seu Por uma espiritualidade leiga (veja aqui), e em espanhol já noticiamos a sua conferência Espiritualidade para além da crise das religiões (aqui), artigos sobre o seu pensamento (aqui) e um livro sobre a sua vida e obra (aqui), além de reflexões teológicas sobre as suas provocações (aqui). Mas agora, todos que refletem sobre os (des)caminhos da espiritualidade para além das religiões acabamos de ganhar um presente enviado pelo Marià Corbí: vários dos seus livros (em espanhol) foram disponibilizados gratuitamente pra gente...


Reflexiones sobre la cualidad humana. Una obra que refleja la preocupación del autor por lo mucho que queda por hacer de cara a favorecer el cultivo de la calidad humana en las sociedades de innovación. Páginas que recogen intuiciones, inquietudes... reflexiones forjadas, día a día, en diálogo con la realidad y dejándose interpelar por ella.

Baixe por aqui.


Más allá de los límites. El individuo, la identidad. A partir del estudio y la meditación sobre textos de grandes maestros espirituales - desde los Upanishads, el Bhagavad Gita, los Brahma Sutras o el Yoga Vâsishtha, a autores como Gaudapada, Sankara, Ramana Maharshi, Nisargadatta, Râmdâs, Prajnanpad o Ramesh - Marià Corbí recoge y comenta temas, con el fin de otientar la meditación. Reflexiones que caminan sobre los frágiles apoyos de las palabras y los símbolos para acercarnos hasta el borde del abismo que es el conocimiento y sentir silencioso. 

Baixe por aqui.




Silencio desde la mente. Prácticas de meditación. Quien quiera la verdad, la felicidad, la paz e incluso la eficacia en sus actuaciones debe alejarse de la comprensión y del sentir de la realidad que genera la necesidad y el deseo para entrar en el silencio de mente y corazón. Este libro recoge los ejercicios de silenciamento de la mente desde la mente que el autor ha propuesto semanalmente en CETR (Centro de Estudio de las Tradiciones de Sabiduría de Barcelona) a lo largo de siete cursos académicos.

Baixe por aqui.


Cantos de eternidad. La sabiduría de Rûmî en el “Mathnawi”. El Mathnawî, la obra cumbre de Djalâl-od-Dîn Rûmî (1207-1273) y uno de los más grandes textos espirituales de la historia de la humanidad, reúne dos grandes cualidades, muy difíciles de conjuntar: la calidez del poeta y la profundidad del pensador, y no como dos estratos sino en una fecunda unidad; una creación que es como una mina de diamantes, aunque para conseguir las joyas haya que adentrarse en la oscuridad de la mina y extraerlas una a una.. En estas páginas Marià Corbí ofrece sus meditaciones a partir del texto.

Baixe por aqui.

Por los caminos del silencio. "El camino interior es una indagación. Un rastreo de los senderos del silencio. Y las vías del silencio, el itinerario a la unidad.
Ese es el destino, la travesía humana.El resto,sólo una sombra". El texto: un conjunto de huellas escritas de la búsqueda de ese itinerario, recorrido desde las nuevas condiciones culturales de Occidente.

Um comentário:

  1. Se a religião é realmente o ópio dos povos, perdemos esta também, já que o culto em ascensão no mundo leva o nome de ateísmo. Sim, uma em cada seis pessoas sobre a Terra é sem Deus: ou ao menos não acredita no Deus de uma Igreja particular. E a Igreja dos sem fé já é a terceira da aldeia global.

    http://www.ihu.unisinos.br/noticias/516610-ateismo-e-a-terceira-religiao-do-mundo

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!