27 de mar de 2012

VODU, DO HAITI PARA O MUNDO



O Haiti é majoritariamente seguidor do vodu, que tem relação com outras manifestações de origem africana como o candomblé e a santeria. O vodu é uma crença sincrética, que combina elementos do catolicismo e de religiões tribais da África. Acredita-se que há um Deus que é o criador de tudo, chamado de "Bondje" (do francês "Bon Dieux"), mas são os espíritos ou os "mistérios", "santos" ou "anjos", assim como os antepassados, que são invocados para ajudar as pessoas. O voduísta adora a Deus e serve aos espíritos, que são tratados com honra e respeito como se fossem membros mais velhos de uma casa. O amor e a sustentação dentro da "família" de vodu são a consideração mais importante. A generosidade em dar à comunidade e aos pobres é também um valor importante.

Trata-se de uma religião do Haiti que se espalhou pelas Américas e pelo mundo. Porém, o desconhecimento dos valores dessa religiosidade tem levado muita gente, sobremaneira cristãos, a combatê-la até com violência e a diabolizá-la como se fosse inclusive responsável pelas desventuras dos haitianos. Há missionários que vão ajudar os desvalidos na ilha, mas ao preço de tentar erradicar a sua religião (até a missão de paz do exército brasileiro tem sido usada para distribuir bíblias!). Quem nos relata, e enviou o link para o belo e esclarecedor documentário acima (em inglês), é o nosso correspondente dos Estados Unidos, Eduardo Silva Carroll, cristão de tradição protestante que estudou teologia conosco na UNICAP e agora reside na América do Norte. Em verdade, a grandeza e tragédia do Haiti tem muito mais a ver é com as Luzes do Iluminismo - e com as suas contradições:

"... O Haiti é um bom exemplo. Já foi um dos países mais ricos das Américas, e hoje é um dos mais pobres e inviáveis do mundo. Fez sua revolução, no começo do século 19, baseado nas Luzes (OK, com uma pitadinha de vodu). Os escravos se rebelaram, mataram ou expulsaram os fazendeiros franceses, derrotaram um exército enviado por Napoleão e fizeram história. Foi como se Palmares tivesse conquistado o Brasil, expulsado os portugueses e libertado negros e índios. Os revolucionários haitianos eram tão fortes que apoiaram, abrigaram e armaram Simón Bolívar. E, depois, ainda baseados nas Luzes, permitiram que um de seus líderes se tornasse imperador, construísse um enorme palácio com o nome de Sans Souci (copiado do lar homônimo do rei Frederico, o Grande, da Prússia, o mais iluminista dos soberanos), reescravizasse quase todo mundo e desse início a um desastre ecológico que não parou até hoje..." (André C. Aubert, Trip).

Veja mais sobre o Vodu aqui no blog.
Saiba mais da grandiosa e trágica história do Haiti aqui
 e tenha informações atualizadas sobre o Haiti em http://www.defend.ht

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!