21 de jun de 2010

CONFRATERNIZAÇÃO DO MESTRADO


"Que importa o sentido, se tudo vibra?"
(Alice Ruiz)

Neste sábado, 19 de junho, às 10h da manhã, estudantes e professores da turma atual do nosso Mestrado em Ciências da Religião da UNICAP estiveram no Templo Budista de Olinda, para um encontro de meditação. O Templo Fo Guang Shan tem suas raízes no Budismo Mahayana e segue as práticas das Escolas Ch’an e Terra Pura. Nele fomos acolhidos com boas vitaminas para o corpo e para o espírito, em uma experiência de congraçamento e vivência transreligiosa. O único efeito colateral foi que, depois da história final da monja, um padre saiu perguntando quem tinha um cachorrinho pra ele, pois sem essa companhia não poderia ir ao último céu (há, há!).

As conversas e brincadeiras continuaram depois, pela tarde adentro, no restaurante da esquina, onde pudemos nos confraternizar, atualizar as fichas do semestre, contemplar o mar e tomar umas caipirinhas para assustar a era glacial que se abateu sobre o Recife na última semana. O evento encerrou o primeiro semestre dos nossos estudos com as melhores vibrações... Alguns estudantes até registraram por escrito os seus testemunhos:

“O Mestrado em Ciências da Religião da UNICAP nesse primeiro semestre superou as minhas expectativas. Gostaria de destacar dois aspectos: 1) A estrutura do curso, que me surpreendeu positivamente; 2) A ética do corpo docente - foi muito bom começar a caminhada com Zuleica, Sérgio Sezino, Gilbraz, Drance, Luiz Carlos, Ferdinando e Marcos. Valeu mesmo e espero construir uma sociedade mais justa e equitativa, alicerçada nos direitos humanos - na qual a dignidade de cada um possa articular a igualdade na diferença” (Nicodemos Felipe).

"Os nossos ricos encontros no semestre culminaram nessa confraternização. Foi um momento ímpar. Troca de idéias, de alegrias mesmo. O legal foi a relação com o diferente no Mosteiro. Enriquecedor. Parabéns à turma e aos professores" (José Soares).

“Eu me sinto realmente o 'mascote' da turma. Foi um semestre onde pude crescer muito como pessoa e com certeza o convívio da turma contribuiu para isso. Obrigado a todos os professores e colegas pelos momentos que vivemos juntos e pelas gargalhadas que soltamos!” (Júlio Tavares).

“Esta experiência para mim tem sido única. A avaliação que faço é que esta nova etapa que estou vivendo tem me ajudado a crescer, amadurecer e abrir a minha cabeça, enxergando novos horizontes. A convivência com a turma é uma beleza, sobretudo porque se trata de gente com credos religiosos diferentes, mas de um respeito mútuo muito grande, encarando a academia de uma forma comum, partilhando e construindo conhecimentos, cada um de sua forma diferente. A respeito dos professores, têm me ajudado a pensar, refletir e me interessar pela pesquisa e pela leitura” (João Ribeiro).

“Interpreto a minha vida como uma longa escada de grandes degraus, que tento vencer um por vez. Acredito que nosso Mestrado é um importante degrau da minha escada, que com a ajuda e compreensão de todos que o fazem estou conseguindo transpassar. Ao final dessa experiência terei formado novas opiniões e novas amizades, que com certeza me conduzirão a maiores desafios. Obrigado a todos pela harmoniosa convivência e experiência. Um grande abraço” (Alexandre Campello).

"Esse foi um semestre de boas e muitas provocações, de aprendizado intenso, de contato com novos estudiosos e de fazer novas amizades. Nos próximos, espero me aprofundar nas questões da inter(trans)disciplinaridade e nas suas consequências para os saberes teobiológicos" (Maruilson Souza).

"Fazer e tratar deste tipo de Ciências já é, por si, um grande desafio: porque se vai tratar academicamente daquilo que só, via de regra, se apreende na subjetividade! É na possibilidade da observação respeitosa, embora que eqüidistante, que se deve resguardar o dito pesquisador. Não é uma tarefa fácil. Nem mesmo de se estabelecer o método. Por isso se faz tão importante ter bons e preparados professores. Outrossim se faz fundamental colegas de turma que se sejam companheiros, ‘cúmplices’, e mais, amigos! E é isso o que mais temos na nossa sexta turma de Ciências da Religião na UNICAP. Adorei ter conhecido a todos indistintamente: professores e alunos! Aprendi a amá-los de coração! Espero poder continuar na luta e, ao fim, saber que vencemos juntos mais essa barreira da vida! Sem mais para o momento e na esperaça de prosseguirmos, deixo meu abraço a todos" (Érico Lustosa). PS. Curtam bastante as merecidas férias!




Veja também aqui o álbum de Carlos Vieira no Orkut!

2 comentários:

  1. Boas férias e espero em 20100 estar com vocês.
    SILVERIO PESSOA

    ResponderExcluir
  2. Rapaz,
    vale a pena esperar por 20100...
    vamos ter um mestrado mais cantante...
    e encantador, com certeza!
    Será uma honra!
    Abraço.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!