27 de dez de 2013

FAFÁ CANTA O DOM




Na década de 1970, o arcebispo de Olinda e do Recife, Dom Helder Câmara, criou uma sinfonia para ecoar através da arte a sua obra religiosa e política em favor dos empobrecidos do Recife. Nos versos, propôs uma reflexão sobre a realidade social do mundo e os caminhos para superação do abismo entre o mundo rico e o da miséria. Ele pediu ao padre e compositor suíço Pierre Kaelin para ajudar com a harmonia. Surgiu assim a "Sinfonia dos dois mundos", peça em seis movimentos para coral e orquestra que foi executada por todo o planeta até os anos 1990 (no vídeo acima, apresentação em Genebra).

Dom Hélder desafiou o pensamento da esquerda e da direita quando cantou, em sua sinfonia, que o mundo rico e o mundo pobre da terra deveriam se transformar e superar a espiral da violência através da solidariedade, em atendimento aos sopros do Espírito, pelo cuidado com o "outro". O "outro”, não mais como o “terceiro excluído” da velha lógica filosófica – e teológica –, mas enquanto poder criador a quem se deve respeitar, enquanto revelador grito do oprimido, que inspira a criatividade amorosa. Ele é o “terceiro” que, incluído, não como objeto mas sim sujeito e parceiro, pode permitir uma “Sinfonia dos dois mundos”.

Neste domingo (29/12), o público recifense tem a chance de ver uma nova montagem da peça musical, executada pela Orquestra Jovem de Pernambuco, com regência do maestro Rafael Garcia. O grupo de solistas é ilustre, com a cantora Fafá de Belém e o professor da UFPE Adriano Pinheiro, além de Frei Rinaldo, que assume o papel desempenhado por Dom Helder na sinfonia. A apresentação gratuita acontece no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, a partir das 18h. Deus queira, toque no coração da gente os acordes de desejo por novas melodias...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!