9 de mai de 2013

MARACATUS DO RECIFE, NOVAS CONSIDERAÇÕES



O Fórum Inter-Religioso da UNICAP é organizado desde 2007 pelo Observatório Transdisciplinar das Religiões no Recife. São encontros mensais de animadores das tradições espirituais da região, para conhecimento mútuo e exercício de tolerância cultural, para ensaios e estudos que favoreçam uma veneração pluralista do sagrado. Depois de uma fase de re-conhecimento de quase trinta grupos religiosos mais presentes em Pernambuco, o Fórum começou a trabalhar questões transversais às tradições espirituais, como "Religiosidade e educação nas escolas", "Sacrifício e comparações religiosas", "Tempos pós-modernos, espaços pós-religiosos?!" e, neste semestre, estamos desenvolvendo uma série de encontros sobre "Devoções religiosas comparadas".

Na segunda 13 de maio, das 17 às 18h30, no auditório do CTCH (1º andar do bloco B da UNICAP), com entrada franca, a série terá continuidade com a participação de Ivaldo Lima, que vai palestrar e lançar o seu livro Maracatus do Recife: novas considerações sob o olhar do tempo (Bagaço, 2012). A conversa com Ivaldo vai girar em torno da história recente dos maracatus, essas agremiações carnavalesco-religiosas recriadoras de uma corte africana, que desafiaram todos os prognósticos sobre seu desaparecimento e, modernizadas, atravessaram séculos, tornando-se parte da identidade cultural pernambucana. Para onde vão os maracatus? O que resta de sagrado em seus cortejos? São questões do debate, para o qual você está convidado.

Ivaldo Marciano de França Lima possui graduação em História pela Universidade Federal de Pernambuco, licenciatura (2002), e bacharelado (2003); mestrado em História pela Universidade Federal de Pernambuco (2006) e doutorado pela Universidade Federal Fluminense (2010). Tem experiência na área de História, com ênfase em História Regional do Brasil, atuando principalmente nos seguintes temas: cultura popular, maracatus-nação, religiões de divindades e de entidades (religião dos orixás, jurema, umbanda), cultura negra e temas afins. Também tem atuado, primordialmente no campo de História da África, com estudos sobre as representações construídas sobre este continente a partir do Brasil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!