23 de jan de 2013

LIVRO DOS MORTOS




“O Livro Tibetano dos Mortos” é um programa criado em 2007 pela produtora MorningStar para o History Channel e disponível no YouTube em 5 partes de aproximadamente 10 minutos cada (acima a parte 1), com narração em português. O programa retrata o livro do mesmo nome, o Bardo Thodol (ou Liberação pelo Entendimento na Vida Após a Morte, em língua tibetana), sendo mais conhecido como “livro tibetano dos mortos”. É um texto funerário de cerca de 1400 anos, um guia para que os mortos atinjam estados superiores da existência cósmica, segundo a concepção budista-tibetana. O Bardo Thodol ajudaria o espírito a concentrar-se e conseguir evoluir, transcendendo a lei do carma, cadeia que prende o ser humano a uma existência de sofrimento, formada pelos sentimentos de desejo e culpa.

De acordo com a tradição, ele foi elaborado no século VII por um guru de nome Padmasambhava, tendo sido redescoberto por volta do ano 1200 e originado versões que basearam algumas seitas. No século XX um estudioso inglês teve acesso a uma cópia do Bardo Thodol, proporcionando ao mundo ocidental acesso ao livro tibetano dos mortos, em 1927. A tradução mais popularizada depois foi a do professor americano Timothy Leary, que seria citada em canções dos Beatles e diversos trabalhos de arte pop (veja aqui a melhor tradução em português). O costume do budismo tibetano, porém, é que o livro seja recitado junto ao leito da pessoa que tenha morrido recentemente, para que os versos ajudem o espírito a atingir níveis superiores de iluminação e esclarecimento, evitando os testes promovidos pelas divindades em meio ao caminho que deva passar.

Mais no blog:
Budismo no Fórum

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!