27 de out de 2012

JOSUÉ DE CASTRO: PROFETA CONTRA A FOME



"A vida não se expressa inte­gralmente, nem através da fé re­ligiosa, nem através da pura experiência científica: ela trans­cende os limites das duas reve­lações".

Josué de Castro nasceu em 1908, no Recife. Fez seu curso secundário aqui e estudou medicina na Bahia e no Rio. Viajou para o México, seguindo depois para os Estados Unidos, onde fez estágio de quatro meses na Universidade de Columbia e no Medical Center de Nova York. Voltando ao Recife, no início dos anos 1930, começou a exercer a profissão de médico, voltando-se depois para o campo da nutrição e tornando-se um estudioso da fome - que denunciou, não como fatalidade, mas sim resultado de geopolíticas injustas para os trabalhadores.

Com ideias revolucionárias para a época, entre as quais a do desenvolvimento sustentável, esse militante do humanismo fez da luta contra a fome a sua bandeira. Como professor, sua vida profissional foi muito voltada para a Geografia Humana e a Antropologia, disciplinas que lecionou no Recife e no Rio de Janeiro, entre 1933 e 1964. Em 1935, escreveu o conto O ciclo do caranguejo, sobre a vida de uma família que vive nos mangues do rio Capibaribe: as pessoas catavam caranguejo para sobreviver e os caranguejos se nutriam dos dejetos do homem. Autor de inúmeras obras, algumas traduzidas para mais de vinte idiomas, publicou em 1946 o que seria seu livro mais conhecido, Geografia da fome. 

Na década de 1950 trabalhou contra a fome no mundo através da Organização das Nações Unidas. Em 1962, foi designado embaixador-chefe da delegação do Brasil junto a ONU, em Genebra, cargo que ocupou até 1964, quando seus direitos políticos foram cassados por dez anos, depois do Golpe Militar. Sua luta contra a fome e a necessidade da reforma agrária eram temas inconvenientes para os conservadores que promoveram o Golpe. Exilou-se em Paris, onde faleceu em 1973. Saiba mais sobre Josué de Castro aqui nesse livro e sobre as suas relações com Dom Helder e o Movimento Economia e Humanismo aqui nesse artigo. Conheça por aqui o Centro Josué de Castro, que guarda sua memória e promove as suas causas no Recife.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!