24 de ago de 2012

FOUCAULT E RELIGIÃO




Michel Foucault (1926-1984) foi um importante filósofo e professor da cátedra de História dos Sistemas de Pensamento no Collège de France. Todo o seu trabalho foi desenvolvido como uma arqueologia, uma análise do discurso, do saber filosófico e da história do pensamento. Sua pesquisa se concentrou sobre a relação entre poder e governamentalidade e sobre as práticas de subjetivação. Foi um intelectual engajado na emancipação dos grupos sociais criminalizados e subjugados, pela convicção epistemológica (na sequência de Kant, Darwin e Nietzsche) de que os nossos conceitos e valores são construídos socialmente (se você não concorda com ele, pode ficar com o moralismo platônico de Nelson Rodrigues e Felipe Pondé: veja aqui).

Foucault mostrou que a nossa ideia de homem (humanidade, natureza humana) não é natural e eterna. Ela vem do começo do século XIX, quando começamos a nos ver como objetos no mundo (e como objetos de estudo), ao mesmo tempo em que como sujeitos que sentem e estudam o mundo. Essa ideia de "homem" é uma invenção recente, pois, e que pode se apagar "como um rosto desenhado na areia da praia" (nessa direção, vejam as especulações de Daniel Dennet e Donna Haraway sobre os limites da consciência e um futuro pós-humano, ou ao menos leiam a Ilusão da alma)

A preocupação central de Foucault não foi religião, mas é possível inspirar-se nele para uma reflexão sobre o fenômeno religioso e suas práticas, seja nas relações de saber/poder ou nas questões de constituição dos sujeitos.

Foucault nos faz entender que a modernidade investiu no poder, no controle, nas formas de dominação íntima e totalizante, produzindo o indivíduo, o corpo, o desejo, dizendo o que você é, o que você deve gostar, o que é errado, o que é normal, da religião à ciência. Para Foucault, foi nas antigas formas de conduta religiosa presentes na pastoral cristã que a governamentalidade moderna buscou inspiração. A religião para ele, porém, não fica relegada a uma prática doutrinária de códigos que visam à sujeição através de um discurso. Abre-se a possibilidade de, em determinados contextos históricos, a religião oferecer um aparato discursivo que promova uma prática antisubjetivante...

Saiba mais:

Veja também no blog:

Um comentário:

  1. Nesse site do grupo de estudos foucaultianos, todos os livros do filósofo francês estão disponibilizados para download gratuito, assim como livros de comentadores e leituras introdutórias.

    http://bibliotecaucs.wordpress.com/2013/11/05/todos-os-livros-de-michel-foucault-para-download-gratuito/

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!