1 de dez de 2011

O RETORNO À RONDA



No último dia 3 de novembro estive no grupo de voluntários denominado Ronda Noturna, da Pastoral da Universidade Católica de Pernambuco. Há mais de quatro anos que eu não freqüentava as ruas do Recife para confraternizar com os seus moradores. Em 2007, comecei o Mestrado em Ciências da Religião e, com isto, deixei de participar da entrega de sopa aos necessitados - um trabalho que durante cinco anos desenvolvi ao lado de alunos, funcionários, professores, pais e colaboradores da Ronda.

Esse retorno que me propus e ansiava, trouxe-me de volta sentimentos adormecidos. O reencontro com alguns moradores de rua despertou novamente a compaixão, a alegria e a esperança. O meu entusiasmo foi ainda maior porque alguns se lembraram de mim e me acolheram de forma festiva. Mais do que a sopa e o pão, a atenção que se dá é muito mais preciosa para esses excluídos. O Fabiano (foto), por exemplo, me deu um abraço e um largo sorriso, como houvesse reencontrado um amigo que há muito não via. Ele é um jovem inteligente, que se tiver oportunidade será motivo de muito orgulho para todos nós. Isso me deixou muito feliz!

Ainda me pergunto como pude negligenciar esse trabalho por tanto tempo, ainda mais sabendo que a experiência humanizadora da Ronda Noturna me levou ao curso de pós-graduação em Ciências da Religião. É verdade! O desejo pela docência cresceu a partir do contato com os jovens alunos voluntários da pastoral universitária. Ao perceber que de alguma forma eu transmitia algo positivo aos estudantes pastoralistas da Católica do Recife, amadureci um novo significado de vida: estender para a sala de aula essa sabedoria humanizadora. E o mestrado em Ciências da Religião da Unicap permitiu que eu iniciasse a jornada de professor.

A vida acadêmica é um campo maravilhoso, no qual entramos em contato com o conhecimento, conforme aprofundamos as pesquisas. Particularmente, as Ciências da Religião nos conectam aos saberes que são ansiados por muitos como a Ética, o Sagrado e a Mística. Podemos freqüentar a Academia sem deixar de lado o trabalho social. Vejo agora ser fundamental esse casamento, que se alimenta de forma recíproca. Ao aprofundar temas humanizantes na Academia, fico mais preparado para vivenciá-los no meu dia a dia. Por outro lado, a experiência do voluntariado é fonte inspiradora para desenvolver trabalhos acadêmicos.

Retorno à Ronda Noturna feliz e vibrante, esperançoso que possamos fazer a diferença e termos um mundo melhor, em que todos se confraternizem. Utopia? Talvez sim, mas uma caminhada que nos traz um sentido de vida e alimenta a esperança naqueles que estão à margem da nossa sociedade. Finalizo esse depoimento com o refrão da música que sempre cantamos, numa ciranda fraterna, antes de partimos da Unicap rumo às ruas do Recife: “Por isso vem, entra na Ronda (Noturna) com a gente também, você é muito importante. Vem!”.

Valter Avellar,
Mestre em Ciências da Religião na UNICAP, autor de Internet e espiritualidade
 e coordenador da Especialização para Professores de Ensino Religioso.

9 comentários:

  1. Parabéns Valter pelo seu retorno ao trabalho voluntário e asistencial a pessoas carentes através da ronda.Distribui-se assim solidariedade e revebemos afeto, sensação de estar fazendo a diferença, sendo úteis ao irmãos mais necessitados! É a rede d bem, amigo!
    abaçso fraternais Rosangela V.Bittar

    ResponderExcluir
  2. Avellar, esse é um sentimento maravilhoso... Lamento não estar fazendo nenhum trabalho desta natureza, mas acredito que a gente se faz mais gente quando está próximo de outros que são gente como nós! Além do mais, é o Cristo no irmão que tanto anseia por nosso carinho, muito mais do que pelo nosso pão, não é mesmo?! Fico feliz por você! Parabéns!!! Grande abraço!

    ResponderExcluir
  3. Valter,
    também estou com saudades da Ronda...Seu depoimento serviu para "cutucar" a minha vontade de retornar...Enquanto isso não acontece mande um abraço para galera por mim!
    Ana Cecilia

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Valter,
    Um maravilhoso exemplo e um lindo testemunho de fraternidade.
    Abraço,
    Alex

    ResponderExcluir
  5. eita! um cientista que pratica a religião! afinal, a verdadeira religião não é servir ao irmão?! parabéns, meu jovem!
    Josean.

    ResponderExcluir
  6. Parabéns Valter pelo lindo depoimento, tocante e incentivador.Se cada um de nós contribuir com uma pequena parte poderemos transformar este mundo em uma realidade bem melhor.Um grande abraço!!!!!!
    Débora França

    ResponderExcluir
  7. Olá, Valter, é sempre bom fazer o que se gosta e gostar do que se faz! No seu caso, vem o acréscimo "estou retornando". Que outras pessoas venham e entrem na roda/ronda...com a gente. Um abração. Maristela Velozo.

    ResponderExcluir
  8. Parabéns Valter, compromisso com os mais necessitados faz valer o sentido da vida. Lembro ainda o grande e incansável servidor à frente desse belo trabalho, Gilmar Araújo, que também é Mestre em Ciências da Religião.
    Forte Abraço, Mariano Vicente.

    ResponderExcluir
  9. Amigão, que notícia maravilhosa! Estou muitíssimo FELIZ! Também tenho saudade das nossas quintas no Centro do Recife...a gente sempre aprende tanto e, com certeza, sempre voltamos diferentes...na verdade, na verdade...a gente recebe mta coisa boa deles...saudade danada...quero voltar!!!! Você me leva? Bjs, Dani Esposito:)

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!