20 de jan de 2011

FRONTEIRAS DA AMÉRICA LATINA


A escolha da cidade do Recife para a realização do XXVIII Congresso ALAS “Fronteiras Abertas da América Latina”, em 2011, tem uma importância simbólica e estratégica particular. Recife é uma importante metrópole histórica e econômica cujas origens remontam aos primeiros séculos da colonização ibérica, mantendo-se, até hoje, como importante centro cultural e intelectual. Entre os principais intelectuais e homens de ação que aqui desenvolveram parte significativa de suas obras estão Abreu e Lima, Joaquim Nabuco, Gilberto Freyre, Josué de Castro, Paulo Freire, Celso Furtado, Dom Helder Câmara e Miguel Arraes. Do ponto de vista geopolítico, a localização da cidade do Recife possibilita-nos articular as diversas cidades do norte e nordeste brasileiro, desde Manaus até Salvador, que guardam as memórias da colonização e da luta anticolonial. As lutas e mobilizações que ocorrem nessas áreas não se restringem a suas delimitações geográficas, mas se conectam com outras regiões do continente latinoamericano. A questão amazônica, para tomar o exemplo de uma das grandes regiões latino-americanas, não é apenas brasileira, do mesmo modo que a questão ambiental do nordeste não toca apenas os estados desta região. As desigualdades sociais, os desequilíbrios ecológicos, a fome e a miséria assim como a presença dos movimentos sociais que combatem este estado de precariedade, refletem situações mais amplas que concernem cada país e cada região da América Latina e do Caribe. Nesse sentido, a idéia de FRONTEIRAS ABERTAS como palavra-chave da ALAS 2011 justifica-se pela importância de se colocar como pauta de pesquisa e debate público atores, práticas, instituições e saberes que evidenciam os limites dos nossos modelos analíticos.

Mais informações e inscrições aqui no site do Congresso.

Participe especialmente do GT Sociologia da Religião, que pretende fomentar reflexões sobre as relações entre as religiões e as mudanças  recentes na América Latina no contexto de intensificação do processo de globalização. Coordenado pelo professor do nosso Mestrado, Drance Elias (drance.elias@hotmail.com), e pela amiga da UFPE, Aurenéa de Oliveira (aurenea@yahoo.com.br), além da participação de Cecília Mariz (UERJ), Cristián Parker (CERC/UAHC-Chile), Edna Muleras (FSOC/UBA-Argentina) e Joanildo Burity (Durham University/FUNDAJ), o Grupo convida à reflexão sobre o papel das religiões nas transformações ocorridas na América Latina, especificamente nas mudanças na forma como os diferentes atores sociais percebem a si e a seu passado (sua memória, cultura e identidade), e também como pensam seu futuro através da atuação no setor público, nas lutas políticas e sociais, na adoção de discursos científicos ou modelos de desenvolvimento, nas práticas culturais e em sua relação com o meio ambiente. Dessa forma, o GT destaca os seguintes eixos temáticos: Os impactos da globalização no universo religioso; Religião e Secularização; Processos de transnacionalização; Dimensões internacionais dos direitos religiosos; Religião e meio ambiente. Prepare desde já a sua comunicação e inscreva-se!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!