21 de jan de 2011

ESPIRITUALIDADE E EVOLUÇÃO


A Revista Espirituaidade Libertária faz chamada para artigos. Enviem seus textos até o dia 31 de maio de 2011 para o e-mail da revista. Neste número (n. 3 – 1. sem. 2011) teremos o dossiê: Espiritualidade e Evolução Biológica. No entanto, receberemos também textos para a seção livre. Vejam também, aqui, o arquivo da Chamada para textos com a Política Editorial da revista.

Para o dossiê Espiritualidade e Evolução Biológica, pedimos o envio de textos que busquem tanto um diálogo e interação entre o entendimento científico da realidade e a vivência espiritual, bem como a análise crítica de pontos de atrito nos quais o ponto de vista religioso e a análise científica parecem colidir. Em particular, o desenvolvimento, do movimento “Criacionista/Design-inteligente”, iniciado nos Estados Unidos, mas que tem se disseminado, particularmente no Brasil, no meio evangélico. Dado o espaço que tais grupos disseminando o Criacionismo/Design-Inteligente têm conseguido – uma matéria publicada em 2 de abril de 2010 na Folha de São Paulo (disponível aqui) revelou que 25% dos entrevistados acreditam que o ser humano foi criado a partir de um ato sobrenatural há menos de 10 mil anos –, seria interessante abordar seus argumentos e objetivos, bem como o contexto social e histórico em que tais idéias se desenvolveram e se mantêm.

É importante ainda, abordar pontos de contato e pontes, nas quais o conhecimento científico, bem como o conhecimento teológico e filosófico, possam se aliar no papel de desvendar mais acerca da realidade que nos cerca. E ainda a capacidade do conhecimento científico em moldar e alterar a nossa visão de mundo e, portanto, a nossa vivência espiritual.
Nas palavras de Carl Sagan:

"Será que tentar perceber de alguma maneira o universo revela uma certa falta de humildade? Creio que é verdade que a humildade é a única resposta adequada perante o universo, mas não uma humildade que nos impeça de procurar descobrir a natureza do universo que estamos a admirar. Se procurarmos essa natureza, então o amor pode ser inspirado pela verdade, em vez de se basear na ignorância ou na auto-ilusão. Se existe um Deus criador, será que Ele ou Ela ou Isso ou seja qual for o pronome apropriado preferiria uma espécie de cepo embrutecido que o adorasse sem nada compreender? Ou preferiria que os seus devotos admirassem o universo real em toda a sua complexidade? Quanto a mim, parece-me que a ciência é, pelo menos parcialmente, adoração informada"
(Carl Sagan in The Varieties of Scientific Experience: A Personal View of the Search for God. Nova York: The Penguin Press, 2006).

Um comentário:

  1. Agradecemos pela divulgação da Chamada para textos da nossa revista. Abraços,

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!