30 de abr de 2010

ESPIRITUALIDADES E EDUCAÇÃO

Por Alan Vinícius, no Boletim UNICAP.

Uma nova forma de educar. Esse foi o assunto do debate “Educação e valores” que aconteceu no último dia 29, no auditório do Centro de Teologia e Ciências Humanas (CTCH) da Católica, dentro das atividades do Ciclo de Debates Budismo e Diálogos Contemporâneos. A professora Janise Paiva, o Padre Luiz Libório e o professor Alexandre Freitas discutiram a questão educacional dentro de perspectivas filosóficas e espirituais, que não costumam ser abordadas quando se reflete sobre esse assunto. Estava presente também o professor Gilbraz Aragão, coordenador do Mestrado em Ciências da Religião da Unicap, que fez a introdução do debate.

Janise Paiva apresentou a pedagogia Waldorf de ensino, que já é adotada por cerca de mil escolas em todo o mundo. O método, desenvolvido pelo filósofo Rudolf Steiner em 1919 na Alemanha, trabalha o desenvolvimento da criança nos contextos físico, mental e espiritual. A professora exibiu fotos de atividades teatrais e de artesanato, para mostrar que o objetivo não é apenas o conteúdo escolar, mas também preparar esses alunos para o respeito, cooperação e sociabilidade. Na pedagogia Waldorf as crianças são vistas como flores de um jardim, que precisam ser cuidadas. Janise diz ter conhecido pessoas educadas pelo método que se tornaram adultos equilibrados e felizes, que sabiam lidar melhor com as situações da vida.

Em seguida, o Padre Libório discutiu sobre as visões de mundo entre o budismo e o catolicismo.”Nunca me senti tão católico como hoje”, disse o religioso, referindo-se ao sentido grego da palavra, que significa “universal”. Na opinião do Padre, as civilizações orientais são mais intimistas, já no Ocidente, prevalece uma visão superficial. Segundo Libório, Cristo também pregou a profundidade do contato com o divino, mas os cristãos não a puseram em prática. A exceção seriam os místicos, como São Francisco ou Santa Terezinha, que sentiram Deus de forma plena. Apesar disso, o Padre observa vários pontos em comum entre os pensamentos cristão e budista.

Alexandre Freitas, último palestrante da tarde, apresentou a experiência do Núcleo de Educação e Espiritualidade da UFPE. Ele observa que os cursos de formação de professores costumam abordar as questões interiores do ser humano como teoria, mas não mostram como trabalhar esses conceitos de modo prático com os alunos. Uma esperiência de educação segundo a inspiração budista está em curso e foi abordada. O ciclo de debates é uma preparação para a mostra Relíquias do Buda, que acontece no Recife de 07 a 10 de maio. Mais informações sobre o Ciclo de Debates Budismo e Diálogos Contemporâneos aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!