10 de jul de 2009

PRIMEIRAS ANDANÇAS DO COORDENADOR

Nos últimos dias, o prof. Gilbraz Aragão representou o Mestrado nos seguintes eventos:

· 29/6, em Brasília: reunião da ANPTECRE (Associação Nacional de Programas de Pós-Graduação e Pesquisa em Teologia e Ciências da Religião), em vista da realização do 2º Congresso (que ocorrerá em Belo Horizonte, de 24 a 27 de agosto próximo, sobre o tema: “Fenomenologia e Hermenêutica do Religioso). O 2º Congresso da ANPTECRE é o principal evento, em 2009, da Sub-Comissão de Teologia, à qual estão associados os PPGs de Teologia e Ciências da Religião. Ele dá continuidade às discussões dos últimos anos sobre a epistemologia própria a esses dois âmbitos do saber. O tema se prolonga com a discussão sobre os principais métodos de abordagem do fenômeno religioso no último século: o da fenomenologia e o da hermenêutica. Vários campos do saber estão envolvidos nas pesquisas desses Programas, desde os das áreas da teologia (exegese das escrituras, teologia da práxis, teologia sistemática) aos das áreas das ciências da religião (psicologia, sociologia, antropologia, filosofia). O Congresso, que já conta com 170 comunicações aprovadas, deverá circunscrever, então, o campo epistemológico das pesquisas sobre religiões, pelos balizadores da comparação fenomenológica dos fatos e da interpretação hermenêutica dos significados.

· 30/6, em Brasília: reunião dos coordenadores de Programas de Teologia e Ciências da Religião com a coordenação de Área da CAPES. Na presença de Marcelo Perine (Coordenador da Área) e de Lívio Amaral (Diretor de Avaliação), foi apresentada a situação da Nova CAPES: a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior desempenha papel fundamental na expansão e consolidação da pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado) em todos os estados da Federação. Está refinando os seus sistemas de avaliação: o Qualis Eventos está sendo preparado, o Qualis Livros foi apresentado e discutido (uma obra coletiva deverá prezar pela reunião de artigos de mais de três Programas, por exemplo) e o Qualis Periódicos já está sendo aplicado e os seus critérios e classificações devem ser consultados. Está sendo implantado um novo modelo avaliativo e também uma nova Ficha de Avaliação dos nossos Programas de Pós-Graduação, onde a Produção Intelectual Docente vale tanto (35%) quanto o Corpo Discente (Teses defendidas, Distribuição das Orientações, Qualidade das teses e publicações, Tempo no programa e Bolsas). Por fim, conversou-se também sobre um novo Documento de Área (o atual se encontra aqui), oferecendo diretrizes para a avaliação dos Programas de Teologia e Ciências da Religião.

· 6 a 9/7, em Belo Horizonte: 22º Congresso Anual da SOTER (Sociedade que congrega pesquisadores de Teologia e Ciências da Religião no Brasil), ocorrido na PUC-Minas, onde se investigou o tema Religião, Ciência e Tecnologia. O Congresso deste ano retomou o tema do ano anterior (“Sustentabilidade da Vida e Espiritualidade”) numa perspectiva mais ampla, buscando equacionar os reais desafios e prospectivas no relacionamento entre Religião e Ciência: a experiência religiosa e sua pretensão de compreender e salvar o mundo, a lógica científica e sua contribuição às vezes aliada, às vezes adversária do pensamento religioso, e a tecnologia com sua ambivalente oferta de ajuda à humanidade e ao planeta. Vários estudantes do nosso Mestrado estiveram presentes e apresentaram comunicações, juntamente com o prof. Gilbraz, que também coordenou o Grupo de Trabalho Ciência, Religião e Pluralismo. As conferências do Congresso já estão publicadas em livro e as comunicações selecionadas sairão em um e-book, livro eletrônico. Destaque nas discussões foi a polêmica em torno do Parecer 118/09 do Conselho Nacional de Educação, que traz orientações para cursos de Teologia, exigindo o respeito aos princípios de “exclusão da transcendência” e de “não-confessionalidade” nos estudos, além da indicação de “eixos curriculares” vinculados às ciências humanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!