5 de dez de 2013

POLÍTICA NO APOCALIPSE

Defesa de Dissertação de Mestrado em Ciências da Religião na UNICAP
de Jair Rodrigues Melo

A simbologia da resistência política no livro do Apocalipse: hermenêutica a partir de Ap 17,1-18. 

O presente trabalho versa sobre o processo de simbolização da resistência presente no livro do Apocalipse. A pesquisa busca analisar as relações entre o conjunto de símbolos utilizados no livro e a resistência política das comunidades cristãs diante da opressão do Império Romano no alvorecer do Cristianismo. Nesse sentido, a partir de uma metodologia de natureza bibliográfica, o presente trabalho fomenta uma reflexão crítica entre o texto e o contexto do Apocalipse, visto como literatura engajada com a oposição às condições opressoras às quais muitas comunidades cristãs estavam sujeitas. O trabalho está dividido em três capítulos: no primeiro, é discutido o contexto sócio-histórico das comunidades cristãs que favoreceram o surgimento do Apocalipse. No segundo é feita uma análise do texto de Ap 17,1-18 do ponto de vista exegético e hermenêutico. Por fim, no terceiro são discutidas as formas através das quais alguns símbolos descritos fazem críticas à opressão política do Império Romano. Palavras-chave: literatura apocalíptica, Império Romano, simbologia, resistência sociorreligiosa.

6 de dezembro (próxima sexta-feira), 14h
No anfiteatro do bloco G4

Banca:
Orientador: Prof. Dr. João Luiz Correia Júnior
Avaliador interno: Prof. Dr. Cláudio Vianney Malzoni
Avaliador Externo: Prof. Dr. Inácio Reinaldo Strieder 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!