18 de ago de 2013

VIDA INTELIGENTE NA INTERNET




No vídeo, assistimos a recente reunião de estudo do Grupo da Complexidade de Natal, que está sendo animada por Josineide Oliveira (Dra. em Antropologia, mas também Me. em Ciências da Religião pela UNICAP), e que traz, entre os depoimentos de outros pesquisadores, o de Ceiça Almeida. Final do ano passado tivemos o prazer de receber na Católica de Pernambuco, para uma conferência brilhante sobre Complexidade e Sacralidade, a Profa. Dra. Conceição Almeida, da UFRN. Ceiça coordena o Grupo de Estudos da Complexidade - GRECOM, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte, responsável pelas muitas vindas de Edgar Morin ao Brasil (veja aqui uma apresentação dele pela nossa amiga). Cultivamos com carinho a parceria com Conceição e o seu Grupo porque temos o Grupo de Estudos sobre Transdisciplinaridade e Diálogo na UNICAP, e a Transdisciplinaridade, inspirada em Basarab Nicolescu, é a principal metodologia do Pensamento Complexo principiado por Morin e trabalhado, entre outros lugares do mundo, no GRECOM.

A epistemologia da complexidade estuda os sistemas complexos e fenômenos associados. Edgar Morin, antropólogo e pensador francês, é considerado o fundador dessa teoria do conhecimento, especialmente pela sua série de seis livros sobre "O Método" (disponíveis na biblioteca da UNICAP). Para Morin, a ciência moderna, na busca de sua autonomia em relação ao pensamento religioso, acabou por separar-se em vez de apenas distinguir-se, também da filosofia, das artes e da política. A ciência de base quantitativa se sobrepôs então às diversas formas de conhecimento, inclusive porque favorecia interesses das classes burguesas, possibilitando a transformação da natureza em produtos pela tecnociênica, o controle social dos estados nacionais a partir do conhecimento estatístico.

A extensão dos critérios das ciências naturais às ciências sociais levou à formação de um grande paradigma ocidental, que procede por separação e redução. Mas a física subatômica introduziu incertezas quanto aos limites do reducionismo, a fenomenologia mostrou as insuficiências da pretensão de se captar uma realidade "objetiva" independente do olhar e dos pressupostos do pesquisador. Em meados do século XX as ciências da terra, a ecologia, a cosmologia, começaram a buscar um conhecimento transdisciplinar, baseando-se na compreensão não linear de diversos níveis da realidade, na inclusão lógica de um Terceiro elemento para além das contradições. Emergiu assim o pensamento complexo ou paradigma da complexidade, propondo uma democracia cognitiva, o diálogo entre as diversas formas de conhecimento.

Essa proposta, que cresce na academia, visa uma abordagem transdisciplinar da realidade e a mudança de paradigma do conhecimento, abandonando o reducionismo que tem pautado a investigação científica em todos os campos, inclusive nos estudos da religião. Queremos ampliar a rede de amizades e trabalhos com o GRECOM de Natal para desenvolver aqui pesquisas sobre as religiões com uma lógica mais ternária e criativa, que considere o caos e o contraditório da vida e dos processos humanos, também nas tradições religiosas (a propósito, Morin já pensou sobre os deuses: veja aqui). A compreensão do pluralismo religioso – e do diálogo inter-religioso – pode aproveitar-se dessa nova modelização do conhecimento, porque ela permite lidar com a contradição aparente da pluralidade de absolutos, uma vez que leva a sério a complexidade da realidade e da verdade, exorcizando o princípio soberano da identidade vitoriosa sobre toda diferença, acolhendo o paradoxo para além do princípio de não contradição e, sobretudo, incluindo terna-riamente "o outro".

Pois bem, essa nossa parceria vai ser incrementada. Já temos recebido ecos das atividades do Grupo da UFRN pela Profa. Dra. Ana Lúcia Francisco, do nosso doutorado em Psicologia da UNICAP, que está fazendo pós-doc por lá. E agora, por ocasião das festividades dos seus 21 anos, o GRECOM renovou o seu site na internet, fez página no facebook, página no twitter e canal no youtube. E as relações com o Grupo podem ficar ainda mais estreitas, pois eles decidiram transmitir ao vivo por twitcam (com interatividade pelo twitter) as reuniões de estudo, que acontecem nos finais de tarde das primeiras sextas-feiras. Quem não puder acompanhar na hora, pode assistir depois no canal e se inteirar das pesquisas compartilhadas pelo GRECOM. O nosso Grupo da UNICAP vai completar oito anos e tem muito o que aproveitar e aprender d@s companheir@s mais amadurecid@s do caminho. Nossos parabéns e nossa gratidão, principalmente a Josineide e a Conceição.

Para saber mais sobre o assunto:
Textos dos colegas do Peroratio sobre Complexidade e Transdisciplinaridade
Matéria sobre Complexidade e diálogo ciência-religião
Artigo A lógica contemporânea e a transdisciplinaridade
Postagem sobre Transdisciplinaridade e religião
Reflexão sobre Novos métodos em Ciências da Religião
Apresentação sobre Espiritualidade no Simpósio Transdisciplinar de Pernambuco
Conferência sobre Os sete saberes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!