23 de abr de 2013

O SAGRADO NO BAQUE SOLTO

Defesa da Dissertação de Mestrado em Ciências da Religião na UNICAP
de João Ribeiro da Silva

Maracatu de Baque Solto: experiência do sagrado

A dissertação analisa a experiência do sagrado no Maracatu de Baque Solto Cambinda Brasileira, da cidade de Nazaré da Mata, e o Maracatu Estrela da Tarde, da cidade de Glória do Goitá. O Maracatu Rural ou de Baque Solto surge no contexto histórico da crise do açúcar, fruto da decadência dos engenhos e do surgimento das usinas na região da Zona da Mata nordestina. No Maracatu temos a fusão de vários grupos e costumes presentes em nossa cultura, tais como o Coco, o Cavalo-Marinho, a Ciranda, o Mamulengo e a Dança de São Gonçalo; porém, mesmo sendo fruto de ressignificações de vários desses elementos, o Maracatu não perde a sua singularidade. É um grupo cultural que evoca a caçada em savanas africanas, possui profundas relações com a religiosidade popular de matriz católica e, principalmente, com a Jurema cabocla. O ritual que antecede a apresentação dos caboclos de lança envolve cerimônias que acontecem em terreiros, como a benção das lanças e da flor que carregam na boca, a consagração da Calunga (boneca representando antepassado divinizado), e a abstinência sexual dos homens. Busca-se então compreender a experiência do sagrado que perpassa a performance do Maracatu na sua dança, no seu cortejo, nas suas loas e na riqueza do seu jogo simbólico. Palavras-chave: Maracatu Rural, Cambinda Brasileira, Estrela da Tarde, Religiosidade Popular, Jurema.

Dia 26 de abril às 9h
No anfiteatro do 3º andar do bloco G4

Banca examinadora:
Sandro Guimarães de Salles (UFPE)
Gilbraz de Souza Aragão (UNICAP)
Sérgio Sezino Douets Vasconcelos (Orientador)

2 comentários:

  1. Fico contente pelo esforço do João Ribeiro. Parabéns!
    Claudi.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns e muito obrigado por ter enviado para mim e Jacilda o seu convite. Infelizmente não foi possível chegar até aí, mas torcemos demais para que tudo desse certo. Parabéns querido Mestre.
    Manoel Rabelo

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!