17 de out de 2012

RENOVAÇÃO DA IGREJA

Encontro de Irmãos no Recife




Angélica de Souza é nossa ex-aluna da UNICAP e com o maior orgulho a gente divulga a matéria que ela, agora como jornalista, preparou para o Especial do NE10 (maior portal de notícias do Nordeste, ligado ao Sistema Jornal do Commercio) sobre o "Concílio Vaticano II: 50 anos de renovação da Igreja Católica":

"Agora nós estamos com a Bíblia na mão. Essa mudança foi uma verdadeira bênção para a Igreja". É com esse sentimento que a aposentada Maria das Neves Nascimento, de 73 anos, descreve o que representou o Concílio Vaticano II, realizado no dia 11 de outubro de 1962. Católica praticante, dona Nevinha, como é conhecida, casou-se há cinquenta anos na Igreja de Nossa Senhora da Paz, no bairro de Afogados, Zona Oeste do Recife.

Nessa época, a missa era realizada em latim e o sacerdote presidia a celebração de costas para assembleia. O único momento em que o padre se dirigia à comunidade era no momento da homilia – ou sermão. "O padre falava e a gente só respondia ‘amém’.", lembra. Religiosa desde muito jovem, ela é mãe de oito mulheres e um homem que, assim como seus netos, seguem seus passos na missão da Igreja. Quando se casou, a aposentada não imaginava que daí a alguns meses a igreja começaria um processo de renovação que vem sendo aplicado até hoje.

Em 11 de outubro de 1962, o antecessor de Pio XII, João XXIII, inaugurou o Concílio Vaticano II – reunião de autoridades eclesiásticas com o objetivo de discutir questões pastorais e doutrinárias, de fé e costumes. Os oito primeiros foram realizados no Oriente e todos os demais na Europa, sendo o Vaticano II o 21º concílio, o mais numeroso, com cerca de 2.800 padres, de 116 países, com duração de quatro anos (1962 - 1965). Os bispos se reuniam 10 semanas por ano, entre setembro e dezembro, voltando para a sua terra para estudar os documentos e o trabalho das comissões. Em 3 de junho de 1963, João XXIII morre deixando seu legado para o papa Paulo VI que encerrou o concílio em 8 de dezembro de 1965.

Para o sacerdote jesuíta Jacques Trudel, o Vaticano II representa um novo jeito de ser igreja. “O Vatiano II foi um evento marcante. Nas aulas de teologia com frequência vamos falar antes de Vaticano II ou depois de Vaticano II. Ele mudou a consciência da Igreja sobre si mesmo e sobre a relação com mundo”, afirma o doutor em Teologia Litúrgica...

Continue lendo a matéria aqui.

Mais no blog:
Igreja do Vaticano II

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!