18 de ago de 2012

MISERICÓRDIA PELAS PUSSY RIOT

Nadejda Tolokonikova (uma das Pussy Riot condenadas)

A semana está terminando com uma novela que nem Dostoievski ou Tolstoi juntos imaginariam tramar... Patriarca pede voto pra político despótico na Rússia. Então três meninas cantam oração punk para protestar em catedral e são condenadas à prisão. Aí as "femen"-istas derrubam uma cruz Ortodoxa e meio mundo de artista também se manifesta (fora da Rússia, porque lá tá difícil!)... E agora a Igreja vai e pede ao Estado misericórdia pras moças dos "bichanos desordeiros"!

Onde entra a (in)tolerância nessa história?! Como devem ser as relações de poder dentro de uma religião e das religiões com o poder político social?! De que maneira uma espiritualidade (o cristianismo em particular, no caso) pode ser uma proposta de sentido cativante pra juventude?!

Mais no blog:
Ortodoxos no fórum

6 comentários:

  1. Quando invadem um Terreiro de Xangô que seja, os tolerantes gritam em defesa... Mas quando invadem uma Catedral Cristã, ninguém abre a boca, não é?
    Manuela.

    ResponderExcluir
  2. rapaz, quem foi mais iconoclasta: essas "vadias" que rezaram contra o Putin ou o patriarca (padre e pastor) que usa símbolos religiosos em favor de políticos putos?!

    ResponderExcluir
  3. Intolerância? Os russos livres e democratas (são poucos, mas existem) já foram tolerantes demais com a hierarquia da igreja ortodoxa, que sempre serviu a quem estava no poder (do comunismo ao clã Putin). É hora de Nossa Senhora ouvir outras preces - ainda que sejam punk! Lucas.

    ResponderExcluir
  4. Devia era pedir a todos os jovens um pouco de misericórdia para com esses aparelhos de discurso controladores e retrógrados que se equivalem! Viva a liberdade de expressão, viva a democracia, também na religião!

    ResponderExcluir
  5. dê um clique no Avaaz pra apoiar a libertação das Pussy Riot (e da Rússia):
    http://www.avaaz.org/po/free_pussy_riot_free_russia_a/?feQhpcb&pv=59

    ResponderExcluir
  6. Uma integrante da banda Pussy Riot, presa por um protesto contra o governo de Vlamir Putin em uma catedral russa, iniciou nesta quarta-feira uma greve de fome, após ser impedida de participar de uma audiência por um pedido de condicional. Em uma mensagem transmitida de dentro da prisão, Maria Alyokhina, de 24 anos, criticou a decisão do tribunal e pediu a seus advogados que encerrem o processo. "Em protesto contra a recusa do tribunal em deixar que compareça à audiência, eu estou começando uma greve de fome", afirma Maria. "Nas atuais circunstâncias eu o proíbo todos os meus advogados e representantes de participar dese processo". O juiz do tribunal de Berezniki, onde Maria está cumprindo a pena de prisão, suspendeu a audiência até quinta-feira. Ela e a companheira de banda Nadezhda Tolokonnikova foram condenadas a dois anos de cadeira por invadir a principal catedral ortodoxa de Moscou, em fevereiro de 2012, e cantar uma música pedindo à Virgem Maria que "Jogue fora Putin." Maria e Nadezhda foram acusadas ??de vandalismo motivado por ódio religioso e consideradas culpadas em agosto do ano passado, após um julgamento visto por opositores de Putin como parte de uma repressão à dissidência. Países ocidentais e artistas, incluindo Madonna, criticaram a decisão afirmando que a sentença era desproporcional. No entanto, Putin, um ex-espião da KGB que cultivou laços estreitos com a Igreja Ortodoxa russa, disse que o estado é necessário para proteger os fiéis. Yekaterina Samutsevich, uma terceira integrante da banda, foi libertado em outubro passado quando um juiz suspendeu sua sentença por entender que ela não participou do protesto, pois um guarda a impediu.

    http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/mundo/2013/05/22/interna_mundo,440796/integrante-da-banda-pussy-riot-inicia-greve-de-fome.shtml

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!