15 de ago de 2012

CAMPANHA CONTRA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA


Elói Ferreira, ex-ministro de Promoção da Igualdade Racial e presidente da Fundação Cultural Palmares

Dezenas de pessoas estiveram ontem (terça, 14) à tarde no Museu da Abolição do Recife, reunidas em prol da liberdade religiosa e igualdade racial. O local não foi escolhido à toa, o Sobrado já pertenceu ao Conselheiro João Alfredo, político e abolicionista brasileiro que ajudou a formular a Lei do Ventre Livre e a Lei Áurea. E lá deu-se o lançamento da campanha contra intolerância religiosa e racial, denominada de “Igualdade Racial é Pra Valer. Intolerância Religiosa Não!”, que contou com representantes do governo do estado de Pernambuco, alunos e professores de colégios públicos e líderes religiosos.

A promoção visa disseminar a liberdade de culto e respeito às diferenças simbólicas, tendo em vista o enfrentamento dos casos de violência contra religiões, sobretudo de matriz afro, que vêm crescendo em Pernambuco. Foi articulada pelo Comitê Estadual de Promoção da Igualdade Étnicorracial (CEPIR-PE), em parceria com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos (SEDSDH) e a Fundação Cultural Palmares (MinC). A campanha percorrerá a Região Metropolitana do Recife e também municípios do interior do estado para realizar oficinas, palestras e divulgar cartilhas sobre as leis 10.639/03 e 11.645/08.

Mais no blog:

Um comentário:

  1. Manoel Mendonça16 agosto, 2012

    Em quase todos os casos em que li ou testemunhei a intolerância religiosa, a responsabilidade me pareceu dos líderes religiosos. Nenhum diz aos seus fiéis que a sua religião "é igual ou tem os mesmos fundamentos das outras" e sim que: "Todas as religiões devem ser respeitadas, mas, a única "certa" é a nossa. Portanto, não adianta ficar discutindo o diálogo inter-religioso apenas entre os líderes. É entre os fiéis que o problema existe, e é exatamente estes que não recebem a orientação necessária.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!