10 de jul de 2012

MOBILIDADE RELIGIOSA NA SOTER


fotos de Sandro Lemos e Penha Vaz

O tempo tá frio em Belo Horizonte (9 graus na madrugada), mas o clima tá quente no 25º Congresso Internacional da SOTER, que acontece de 9 a 12 de julho na PUC de Minas, campus Coração Eucarístico. A Sociedade de Teologia e Ciências da Religião é uma associação civil brasileira, fundada em 1985 por teólogos, teólogas e cientistas da religião, para articular a partilha de sua produção intelectual e assumir posições comuns em relação às questões do espaço público para a área. Aos poucos a Sociedade vem se transformando, de clube da teologia da libertação, na maior e mais ampla associação de estudiosos da religião no país (são mais de 500 sócios - quase todos presentes aqui no Congresso, afora vários aderentes!). Enquanto a SOTER associa pesquisadores, a ANPTECRE vai congregando mais institucionalmente os Programas acadêmicos de Pós-graduação desse nosso campo de estudos, atestando o vigor de uma área que está atingindo a sua maioridade no Brasil.

A SOTER tem caráter amplamente ecumênico e promove todo mês de julho esse congresso por aqui. Através de eventos assim e de publicações qualificadas, ela incentiva a comunicação e a cooperação entre os seus associados e defende sua liberdade de pesquisa e expressão, apoia o serviço dos membros às comunidades religiosas e a organismos da sociedade civil, na perspectiva de construção da cidadania - também nas religiões. É igualmente uma das promotoras do próximo e grande Congresso Continental de Teologia.

Ao trabalhar em 2012 o tema "Mobilidade Religiosa: Linguagens – Juventude – Política", o Congresso da SOTER aborda um tema relevante e que necessita de re-interpretações. As teorias da perda progressiva do papel das religiões nas sociedades modernas, que serviram para explicar a situação de secularização na Europa, não conseguem explicar a situação brasileira e latino-americana. Pois o período em que o Brasil sofreu o maior impacto de modernização e urbanização (anos 60-90 do séc. XX), viu nascer e se consolidar duas grandes recomposições da religião entre nós. A da teologia da libertação, com sua leitura profética, ética e política do cristianismo, e de outro lado a dos pentecostalismos e neo-pentecostalismos, que sinalizam para modificações substanciais na experiência religiosa e na compreensão do papel da religião na sociedade.


As duas tendências questionam os teóricos da secularização e suas apostas de enfraquecimento ou desaparecimento da religião. Constata-se, é verdade, um número cada vez maior dos que se declaram sem religião, mas isso necessariamente não significa ateísmo ou negação da transcendência. Percebem-se, também, processos acelerados de desinstitucionalização, tanto no catolicismo quanto no protestantismo histórico. O que mais impressiona em tudo isso é o trânsito constante de uma confissão a outra, a múltipla pertença, a construção de religiosidades à medida dos indivíduos, em uma espécie de clientelismo ou mercado de serviços religiosos. Constata-se igualmente a crise da tradição latino-americana do cristianismo libertador, que contribuiu na formação de valores cidadãos entre nós.

Para onde se move a religiosidade do nosso povo, com o fechamento conservador das instituições cristãs e um festival de espiritualidades pentecostais, com a crescente redefinição pública da religião em um campo pluralista de sentidos simbólicos? O que revela a grande mobilidade religiosa em nossa região e como o fenômeno se apresenta nas sociedades supramodernas? Como interpretar as linguagens daí decorrentes, bem como as novas formas de organização - em redes sociais - da pertença religiosa e qual o aporte destas aos desafios sociais? É sobre issso que rolam as discussões no Congresso (veja aqui a programação completa). Além de conferências e mesas redondas, o 25º Congresso organizou uma tocante sessão comemorativa dos 80 anos de João Batista Libânio - primeiro Presidente da SOTER, e dos 50 anos do Concílio Vaticano II, com testemunhos de Dom José Maria Pires - Arcebispo Emérito da Paraíba, e o Pastor Dr. Walter Altman - Presidente da Igreja Luterana (2002-2010).

O Congresso está sendo também um espaço privilegiado de divulgação das pesquisas realizadas nas Faculdades de Teologia e nos Programas de Pós-graduação em Teologia, Ciências da Religião e áreas afins, através de 300 comunicações científicas aprovadas (veja aqui a relação), distribuídas em 19 Grupos Temáticos (GTs). Dois dos GTs foram organizados com participação de professores do nosso Mestrado em Ciências da Religião da UNICAP: Pluralidade Espiritual e Diálogo Inter-Religioso (Gilbraz) e Diversidade Afro-religiosa e Contemporaneidade: Mudanças e Permanências (Zuleica). As comunicações aprovadas tiveram seus resumos divulgados nos anais do 25º Congresso. Os textos completos das comunicações efetivamente apresentadas deverão ser enviadso até o dia 31 de julho e serão publicados, até novembro, em e-book da Ciberteologia, com ISBN próprio. Enquanto isso, as conferências do evento já estão publicadas no livro Mobilidade Religiosa.

Além dos professores mencionados, o nosso Mestrado está aqui, nas comunicações e discussões do Congresso, através das insignes presenças dos nossos Mestres Manoel Henrique, Maruilson, Jair Santana, Silvania Maciel, Penha e Augusta; e dos nossos Mestrandos Gilvan, Ceci, Ana Cristina, Sandro, Elvis e Josineide; além de algumas pessoas que também enviaram comunicações como Wellcherline, Mariano e Justino. É isso aí: ciência não se faz somente com o desenvolvimento de boas aproximações e leituras da realidade, mas com sua defesa frente à crítica intersubjetiva. A todos, portanto, um bom exercício da "epistemologia das controvérsias" (há, há! lembram das aulas?!) e boa SOTER 2012!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!