26 de jun de 2012

FESTA DE SÃO JOÃO DOS XUCURU




No vídeo acima, das festas juninas na TVPE, Chico Jorge conversa sobre os rituais de São João entre os índios Xucuru (ou "Xukuru"). Nessa devoção, com fogueiras que lembram o seu nascimento, os cristãos católicos aludem à tradição bíblica do santo profeta que buscou a justiça e a verdade. Os Xucuru chamam-no “Seu São João” ou ainda “Caô”, uma influência da presença africana com os escravizados negros na Serra do Ororubá. Em seu blog, o missiólogo Paulo Suess nos oferece mais informações sobre esse povo, cujo sincretismo religioso é a força para se conquistar a terra e reconstruir uma cultura:

O aldeamento do povo indígena Xucuru está situado na Serra do Ororubá, a cerca de 6 km da cidade de Pesqueira, que se encontra na zona fisiográfica do Agreste, e dista da capital do Estado de Pernambuco, em linha reta, 204 km.
 
Os 6.363 índios vivem na Serra do Ororubá, em pequenos lotes de terra dispersos entre propriedades de civilizados, e a inexistência de uma área contínua dificulta seriamente o contato mais estreito entre os grupos familiares. Existem as aldeias de Afeto, Bentevi, Boa Vista, Brejinho, Caetano, Caípe, Caldeirão,Canabrava, Gitó, Courodanta, Guarda, Lagoa, Oité, Pendurado, Pé de Serra, Santana, São José e Cimbres.

Estas aldeias não formam propriamente arruados, mas simples ajuntamentos de casas. Canabrava, além de ser o núcleo mais habitado, destaca-se por aí serem encontrados ainda vestígios marcantes dos traços culturais dos Xucuru. Algumas localidades apontadas pelo cacique nas quais existem "caboclos puros", foram Boa Vista e Canivete. Arredios, nunca descem à cidade e não têm contatos com as populações dos arredores.

Cimbres, que no passado foi local de grande concentração dos índios Xucuru, conta hoje com poucos sobreviventes remanescentes, porém é ainda o centro das manifestações comunitárias, como a festa de Nossa Senhora da Montanha. "Eles são católicos?", perguntou Bento XVI ao bispo de visita ad limina em Roma, quando falou dos índios em sua diocese. "São católicos, sim. São xucuru-católicos".

Paulo Suess,
amigo do peito da gente. Trabalha na pós em missiologia do Itesp e assessora o Cimi. Seus últimos livros são: Impulsos e intervenções: atualidade da missão (Paulus, 2012), Introdução à Teologia da Missão (Vozes, 2011) e Dicionário de Aparecida: palavras-chave para uma leitura pastoral do Documento de Aparecida (Paulus, 2010).

Mais no blog:
Veja também a devoção a N. Sra. das Graças no Ororubá
aqui nos Anais da Soter, pg. 631.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!