6 de fev de 2012

AGORA É TEMPO DE GISELLE TIGRE

Assusta-me esse deus de barba imensa,
Pai severo e tirano à moda antiga,
Que com o fogo do inferno os maus castiga,
Porém, na terra, os bons não recompensa.

Este deus que a adorá-lo nos obriga,
Mas que só ama a quem o adula e incensa,
Nunca há de ser o deus da minha crença,
Que eu venere e entre cânticos bendiga.

O Jeová que no Antigo Testamento
Os profetas nos pintam, truculento,
É um velho deus, motivo de pavor.

Moço é o Deus, de eterna juventude:
Perdoa. Todo o mal muda em virtude.
De tão humano, é quase um pecador.
(Manoel Bastos Tigre, 1955).

Ganhei este poema há mais de dez anos, escrito pelo seu tio-avô, de uma então aluna de cultura religiosa na Unicap, com quem tive a felicidade de almoçar hoje. Ela voltou à terrinha pro carnaval e pra mostrar que, se não é divina, tem um atributo certo do divino verdadeiro: juventude eterna (que transparece mais no que se ouve do que no que se vê!). Pois continua uma gata: Giselle Tigre Gemmal (que de quebra tava muito bem acompanhada pela sua filha Maria – que vai ser artista que nem a mãe, a julgar pelos desenhos felinos nos guardanapos do Açafrão). Já no último Reinado de Momo, quando a vi cantando no Galo da Madrugada, lembrei logo de Dostoievsky: "A beleza salvará esse mundo"!

Então, Giselle agora tá muito em evidência porque protagonizou, com Luciana Vendramini, o primeiro beijo homossexual exibido em uma telenovela brasileira (Amor e Revolução, na Record). Mas ela já desfila a sua beleza e talento faz tempo: modelo famosa desde moleca, virou cantora (o seu CD Mais Além toca que só nas rádios da gente e pelo mundo afora, augurando uma nova coletânea) e também virou atriz (de Madalena, na Paixão de Cristo do Recife, foi embora encarnar a professora Linda, de Malhação, na Globo). E, ademais, enche a gente do maior orgulho, seja pelo jeito como ajuda o povo a discutir sobre diversidade e inclusão com os seus papéis delicados, seja pela paciência maiêutica para educar com firmeza a sua filha (precisavam ver a conversa à mesa!). Ao esbarrar nessa belezura de pessoa e arte-educadora que se fez Giselle, a gente sente gosto de ter sido professor algum dia...
...
Aliás, pouca gente talvez saiba, mas Giselle foi também professora (de verdade!) de redação aqui no Recife e, inclusive, ela é praticante de budismo (eu até ganhei incenso quando fui seu professor, há, há!). Agora lá no Rio de Janeiro, onde casou e vive, após concluir o curso de jornalismo, ela juntou toda a sua sensibilidade pedagógica ao seu envolvimento espiritual, tornando-se embaixadora artística da cultura pernambucana no musical Agora é Tempo: dirigido por Marcelo Neves e Fábio Campos, com texto e pesquisa de Giselle e participação dela e da família, em um grande elenco, o musical está circulando pelo Estado do Rio de Janeiro, depois de uma temporada na capital. E estamos torcendo para que venha logo pro Recife!

Nas palavras da própria Giselle Tigre: "Tudo começou em 2006, quando minha filha Maria nasceu. Surgiu em mim um forte desejo de traduzir a beleza da maternidade numa obra que unisse as duas artes que tanto me encantam: Música e Teatro. O Pastoril veio como escolha natural, mas não apenas por sua beleza, ou por representar a tradição dos folguedos de Pernambuco. Quando penso nas lembranças de minha tenra infância, são estas as canções que povoam as primeiras brincadeiras, no Recife, onde nasci. A saga da camponesa Diana surgiu em seguida, na intenção de atrelar às canções uma aventura fantástica. A inspiração também veio do tempo de menina, ao lado de minha querida mãe, Dona Glícia. 'Quando uma criatura humana desperta para um grande sonho e sobre ele lança toda a sua força de sua alma, todo o universo conspira a seu favor', disse um pensador. Podem acreditar nisso! Agora é Tempo é uma homenagem ao amor de todas as mães pelos seus filhos".

Gielle Tigre
com a Monja Coen





Nesta terça, dia 7, 11h, Giselle Tigre é entrevistada no Programa Geraldo Freire
 da Rádio Jornal (escute e participe por aqui).

3 comentários:

  1. Professor, não acredito! O senhor conhece essa mulher? Minha Nossa Senhora, agora é que eu gosto dela: não sabia dessas histórias não! Pelo amor de Deus, me consiga um autógrafo, vá!
    Maria José.

    ResponderExcluir
  2. a vida é cheia de mistérios infinitos: quem diria que uma modelo que explora a "carne", tinha um "espírito" tão grandioso e humano como o revelado poe essa notícia?! vamos cantar muito na oração da noite de hoje: esse mundo tem salvação!!! como a gente é tolo, como o divino é grande! Antônio Gonçalves.

    ResponderExcluir
  3. Menino,
    como o mundo é pequeno e redondo. A gente vê a pessoa na TV e nem imagina que ela é gente: já estudou até nas mesmas bancas da gente aqui na Unicap! Tou admirando mais a artista multimídia que é Giselle Tigre, ao conhecer um pouco da sua pessoa, e tou me sentindo mais importante também agora - quem sabe um dia desses vocês também não vão me ver na TV? kkkkkkk!
    Lu Alecrim.

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!