25 de nov de 2011

CARLOS DEFENDE A DISSERTAÇÃO

Por Daniel França, no Boletim UNICAP.Os momentos que antecedem a defesa de uma dissertação de mestrado são sempre marcados por muita expectativa. A sensação foi vivida hoje por Carlos Alberto Pinheiro Vieira, funcionário da Católica e integrante do Instituto Humanitas Unicap. Ele apresentou na tarde desta sexta-feira (25) a pesquisa intitulada O enfraquecimento das estruturas fortes e o retorno à religião: a proposta de Gianni Vattimo para o cristianismo contemporâneo. A banca examinadora foi composta pelos professores da Unicap Degislando Nóbrega (orientador); Sérgio Cesino (interno); e José Tadeu (externo ao Programa do Mestrado de Ciências da Religião).

Nascido em 1936 na cidade italiana de Turim, Vattimo construiu uma corrente de pensamento que aborda as consequências da modernidade no que ele acredita ser o enfraquecimento metafísico de Deus. Premissa que pode ser traduzida como sendo o desuso do sagrado ou humanização de Deus. Carlos também procurou estabelecer um diálogo entre esta corrente e a de outros filósofos como Nietzsche e Heidegger. A banca fez várias ponderações mas, além das críticas, colocou as virtudes da pesquisa. “Você teve coragem em se aventurar por um tema difícil, ao não ficar restrito à caracterização dos ‘pensamentos fraco e forte’ “, disse o professor Tadeu.

Já o professor Sérgio fez questionamentos do que o autor da dissertação conceituou como pós-metafísica e metafísica. Também ponderou os argumentos do que seria o fim do cristianismo, morte da religião. “Este pode ser um fenômeno típico da Europa Central que não se aplica, por exemplo, ao mundo eslavo e nem abaixo da linha do equador. Às vezes é preciso ‘tropicalizar’ o que se lê”, colocou o professor ao mencionar o alto número de religiões do Hemisfério Sul.

O orientador da dissertação não ficou de fora dos questionamentos, ponderou o estilo narrativo do mestrando e sua identificação pessoal com as ideias dos autores . “É necessário se distanciar dos autores pesquisados para preservar a maturidade acadêmica, mas isso faz parte do processo de aprendizado e construção do conhecimento”, afirmou o professor Degislando.

Ao final das colocações da banca, Carlos Vieira disse em sua réplica que irá levar em consideração os questionamentos e submeterá o texto a ajustes. E a expectativa do início da sessão deu lugar à certeza do dever cumprido com êxito. “Tirei uma tonelada das costas”, disse o mais novo Mestre em Ciências da Religião formado na Unicap.

Um comentário:

  1. Valeu Carlos!!! Parabéns!!! Agora é partir para o doutorado. Sucesso amigo.
    Roberto

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!