23 de out de 2011

A LIÇÃO DE ASSIS E NOSSA MISSÃO

Na quinta-feira, 27 de outubro, as manchetes dos jornais podem nem destacar, mas, provavelmente, o fato mais importante deste dia acontecerá em Assis (Itália), cidade onde nasceu e viveu há mais de 800 anos, São Francisco. Naquele dia, um grupo de peregrinos subirá a pé a colina de Assis para orar juntos e testemunhar o compromisso comum com a paz e a justiça.

Há 25 anos, no dia 27 de outubro de 1986, Ano Internacional da Paz, patrocinado pela Organização das Nações Unidas (ONU), o Papa João Paulo II convidou líderes das mais diversas religiões do mundo para se unirem a ele em um dia de jejum e oração pela paz, em Assis. Este fato foi tão marcante que a Comunidade de Santo Egídio, grupo religioso de Roma dedicado à paz, tem promovido, a cada ano, um encontro semelhante. Em janeiro de 2002, poucos meses depois dos atentados ocorridos nos Estados Unidos, o mesmo Papa refez o convite e reuniu em Assis religiosos de diversas tradições espirituais em uma nova oração pela paz.

Para celebrar o 25º aniversário do primeiro encontro interreligioso de Assis, já na celebração do Dia da Paz, no 1º de janeiro deste ano, o Papa Bento XVI anunciou sua decisão de refazer o itinerário de João Paulo II e realizar um novo encontro de oração. Na véspera, à noite, o Santo Padre presidirá em Roma uma vigília de oração pela paz e, na 5ª feira, junto com uns 200 convidados, líderes das mais diversas religiões, sairá de trem de Roma a Assis, onde descerão diante da Igreja de Santa Maria dos Anjos e subirão a colina até a Basílica onde repousa o corpo de São Francisco. Lá passarão um dia de diálogo e de oração pela paz. O Papa quis dar a este encontro o lema: “Peregrinos da verdade, peregrinos da paz” para mostrar que ainda não chegamos ao final do caminho, mas estamos juntos na subida.

É importante que a nossa Arquidiocese de Olinda e Recife esteja toda unida em espírito a esta peregrinação do Santo Padre e dos líderes religiosos do mundo. Peço a meus irmãos padres que, neste domingo, 23, e durante toda a semana, em suas missas, convidem os fiéis a unirem-se nesta oração que reunirá a Igreja Universal pela paz e pela justiça no mundo.

Convido também, fraternalmente e com amizade, aos irmãos pastores e fiéis de outras Igrejas cristãs, para se unirem a nós neste espírito de oração. Este grande mutirão de oração pela paz é importante porque ressalta que a paz não é só um fato político. Tem no seu próprio conteúdo uma importante dimensão espiritual. Ao mesmo tempo, mostra que todas as religiões têm uma missão importante com relação a essa construção da paz e da justiça no mundo. Rezemos, de maneira especial, pela superação do ‘extermínio da juventude’ em nosso país, profeticamente denunciado pelo Setor Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), promovido recentemente a Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude.

Dom Antônio Fernando Saburido, OSB
Arcebispo de Olinda e Recife
Veja aqui mais notícias dos católicos do Recife.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pela sua participação!