30 de abr de 2011

VAZIOS SILENCIOSOS

Dia desses presenciei uma cena: a avó desesperada porque a neta não recebia catequese em nenhuma religião, convenceu a menina a ficar assistindo os desenhos-animados bíblicos, que Sílvio Santos botou na TV (ao menos assim ela ia saber das histórias de Deus). Mas depois do primeiro episódio, em que Moisés aparece abrindo o Mar Vermelho, a danadinha já exclamou: "Ah, o He-Man tem muito mais poder do que esse daí"! (Não foi, Mayra?! Há, há!).

Então, quem pensa que religiosidade e sentido se encontram apenas nas igrejas, devia dar uma olhada nesse livro e no pensamento do autor, que é doutorando em Teoria da Literatura pela Universidade Federal de Pernambuco, mestre em Comunicação e graduado em Comunicação/Jornalismo, também pela UFPE.

Aqui, trata-se do primeiro dos dois volumes da obra Os "vazios silenciosos" no coração dos super-heróis, escritos pelo pernambucano Cláudio Clécio Vidal e baseados na dissertação de mestrado que o autor defendeu em 2006. O livro está disponível gratuitamente para download ou leitura online.

Ele faz referência às ideias de vários pensadores, como Kant, Descartes e Michel Foucault, investiga filosoficamente os super-heróis norte-americanos e japoneses, como Cavaleiros do Zodíaco e a Vampira de X-men, destacando que o coração desses personagens "pode funcionar como um espelho por meio do qual o edifício filosófico encara suas fraturas, contradições e vazios: suas crises de identidade".

De fato, em nossos tempos modernos, os heróis dos filminhos e dos gibis substituem muito dos nossos velhos santos e personagens bíblicos, como modelos (ou contra-modelos) de realização humana e propiciadores de caminhos "iniciáticos" (substitutivos das antigas formas religiosas). "As narrativas de super-heróis, encaradas como representações imagéticas de conceitos abstratos - ou alegorias -, comportam-se como uma espécie de evangelho apócrifo, contrapondo-se a interpretações canônicas de noções filosóficas", diz Cláudio. "Tá ligado"?!

Clique aqui para baixar o livro.
Clique aqui para ler online no blog do autor.

3 comentários:

  1. Olá Gil,
    Boa lembrança essa sua, que nem eu me lembrava disso. Você com suas memórias me faz conhecer quem eu fui um dia. Eu nem lembro mais como era aquela "danadinha", mas posso contar com alguém, você, que lembra muito mais do que eu.
    Obrigada sempre,
    Beijos,
    Mayra Coelho

    ResponderExcluir
  2. Apreciei muito sua análise.Vou estudar no doutorado a relação entre os super-heróis e os heróis do gênero épico, mas,como você bem observa, os super-heróis têm elementos que os ligam à jornada iniciática dos santos. Muito obrido pelas observações e Um abraço!

    Cláudio Clécio

    ResponderExcluir
  3. vejam um blog relacionado à temática:
    http://teologiaehq.blogspot.com/2011/08/ainda-sobre-o-i-encontro-agora-sobre.html?spref=fb

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!