20 de dez de 2010

FELIZ NATAL

“Num meio-dia de Primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se longe...
Ele mora comigo na minha casa a meio do outeiro.
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é humano que é natural.
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro”
(Fernando Pessoa/ Alberto Caeiro).


Natal é tempo de reencontrar a humanidade do Deus cristão, é tempo de lembrar da Criança Eterna que, em nós, a cada dia quer nascer, de quebrar a seriedade diabólica dos nossos deuses. Pois Jesus é a nossa juventude, a esperança de um mundo mais jovial, mais capaz de brincar, sorrir e Dançar a Vida. Fica sempre o convite, em cada Natal, para refazermos as nossas imagens divinas, conforme o modelo do Menino de Nazaré, dançando apolíneo pelas festas da sua terra.

Destruir imagens – e refazê-las – é a tarefa da teologia. E quando isso não se faz de verdade, como “a guerra é a teologia continuada por outros meios”, resta ao mundo a figura triste de um Cristo sisudo e justificador, de um deus que abençoa os canhões da ganância e da dominação. Que este Natal nos traga liturgias mais dançantes e brincalhonas, mais brinquedos e menos armas... Amém!

Desejamos Boas Festas
aos leitores e colaboradores do nosso blog!

4 comentários:

  1. Meus sonhos de Natal

    Há poucos dias sonhei que o mundo estava todo colorido e brilhante. Árvores com luzes e estrelas, bonecos lindos de papel e de barro. Um sonho fantástico. Pouca correria, muita solidariedade e partilha. Quase não havia pobres esmolando e nem violência como alunos espancando os professores e nas igrejas muito compromisso com as atividades sociais. Uma beleza. Ufah, acordei.

    Um sonho. Na verdade faltam três dias para o Natal, talvez está expectativa tenha me inebriado. Perçebo que a soceidade do consumo e da pressa vive inebriada com a véspera. Tudo hoje é comemorado na véspera. Aniversário natalício, festa de casamento, carnaval e até Natal. Tudo com antecedência e sem muita ênfase no sentido daquilo que se faz. A sociedade do descartável está acima dos valores perenes. Na cidade e no sítio, no deserto e na companhia dos mais finos castelos, todas as pessoas e tudo se esvai rapidamente.

    O sonho está acima dos nossos esquemas humanos invadidos pelo desejo de gozar a vida sem deixá-la revelar-se. O sonho está além de nossas estruturas sóciais, políticas e religiosas. Está no horizonte da transcendência, está na figura dos pastores de Bélem de Judá, nos vaqueiros do Nordeste brasileiro, no choro da criança haitiana. O sonho projeta nossa esperança. Nos faz ver além do material, nos ajuda a divinizar a manjedoura da nossa existência.

    Creio que preciso sonhar mais, lutar mais. Não será preciso adormecer. O tempo urge. Basta viver e sonhar mais. Quem sabe meu sonho, seu sonho, nosso sonho, nos permitirá crer mais, apostar mais, defender mais a vida que se manifesta numa criança tão indefesa e na nostalgia de idosos fragilizados que todos os anos acordam para celebrar Natal.

    Para você que acompanha esse blog - Feliz Vida no Natal do Menino-Deus.

    José Soares de Jesus (pejsoares@bol.com.br)

    ResponderExcluir
  2. Hoje é Natal, momento significativo para nós, os cristãos. É hora de lembrarmo-nos da encarnação do Filho unigênito de Deus, o qual sendo Deus, se torna também homem, sujeito a dores, à morte e até ao próprio pecado, se bem que nunca cometeu delito algum. Esse ser sui generis, esquecido pela sociedade que o trocaram pelo Papai Noel, precisa ser mais do que nunca relembrado, cultuado, honrado e glorificado. Aproveitemos o momento para dar honra e glória àquele que merece: aquele que era, que é e que há de vir. Desejo a você momentos de muita alegria neste natal; que o dia seja de festa junto a seus familiares. Relembre o que Ele fez nesse 2010 e passe a todos os seus essa alegria contagiante que é viver o puro evangelho da graça de Cristo Jesus, Senhor de todos nós. Sem ele, nossa vida seria como um churrasco sem sal grosso e queimado, um chester sem tempero e ainda cru, uma lazanha sem molho e estragada, e uma macarronada sem a presença da "mama" que se foi e deixou uma dor no peito da gente. Com ele, não importam as circunstâncias, tudo é paz, tudo é amor. Que Cristo faça renascer, germinar e crescer o amor de Deus derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado, a fim de que o mundo creia que Ele faz a diferença. Feliz Natal e um abraço de quem sempre se lembra de vocês: Jaziel Martins (diretor@ftbp.com.br).

    ResponderExcluir
  3. Na presença da luz do Divino caminhando iremos a um ano que se termina para o ano que nasce cheios de esperanças e futuras realizações com diversificaçoõe de projetos todos baseado na presença do amor que se materializa na crença de um Deus vivo e mortal , presente no brilho do olhar do ser verdadeiro e livre para viver e amar,Feliz Ano novo , feliz amor novo...:katia kelly.(belamorena_bela@hotmail.com)

    ResponderExcluir
  4. E finalmente 2011 já bate à nossa porta, mas, o que realmente desejamos para este novo ano? Nossas palavras desejam quase que o alfabeto de sentimentos e realizações, projetos e conquistas: amor, alegria, dinheiro, emprego, felicidade, paz, harmonia, sucesso, paixão, saúde, etc. Contudo, vale perguntar: será que desejamos isso mesmo? Por vezes, falamos o que os outros falam ou seja, repetimos apenas, mas, o que queremos mesmo é realizar algo pessoal ou familiar, esquecendo que os nossos desejos podem mover o mundo ao nosso redor. Quero paz pra minha casa e não pra minha rua; quero dinheiro pra mim, e não para aquele que passa por dificuldades; quero bom emprego pra meu filho, e não pra aquele que está acabando de se formar. Por vezes nossos desejos são egoístas. Que em 2011, nossos corações se abram a verdade e a solidariedade, e que possamos abraçar com vontade tudo aquilo que precisamos viver. Feliz ano novo. Irenir Jesus

    ResponderExcluir

Obrigado pela sua participação!